Europeus já temem uma nova recessão

Além da convulsão social, causada por medidas impopulares que vêm sendo adotadas pelos governos, a Europa está correndo o risco de cair em um novo cenário: o de que a obsessão por resolver a questão da dívida fiscal leve a outra crise econômica.

Jamil Chade, O Estadao de S.Paulo

21 de março de 2010 | 00h00

A Comissão Europeia indicou que, com as medidas de restrição, o cenário de uma nova recessão não seria impensável. De fato, foi isso que fez com que a Grande Depressão dos anos 30 levasse muito tempo para ser revertida. Para 2010, a projeção é de uma estagnação na economia dos países europeus.

Mesmo assim, Berlim - que praticamente desenhou as regras da união monetária na Europa - continua defendendo a ideia de austeridade fiscal.

"Se nós fizemos esforços para evitar um buraco, porque é que outros não podem fazer o mesmo", questionou a chanceler alemã, Angela Merkel.

A resposta de Portugal, Grécia e Espanha é clara: a Alemanha é a economia que mais ganhou com a criação da zona do euro, conquistou mercados em todo o bloco e manteve seus trabalhadores mais competitivos. Já a periferia europeia teve de importar e suas contas entraram em colapso.

Agora, os resultados do desequilíbrio dentro da Europa se transformam em uma batalha política. /

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.