Europeus lamentam suspensão de negociações da OMC

O Parlamento Europeu lamentou nesta quarta-feira a suspensão das negociações da Organização Mundial do Comércio (OMC) dentro da Rodada de Doha para a liberalização do comércio mundial, que atribuiu ao funcionamento e às "limitações" deste organismo multilateral.O presidente da comissão de Comércio Internacional do PE, o espanhol Enrique Barón, disse estar decepcionado com a interrupção, esta semana, das negociações da Rodada de Doha que teve início em 2001, com o objetivo de aprofundar a liberalização comercial. "O Parlamento não se conforma com o fracasso" desta rodada, afirmou.Ele acrescentou que, diante da troca de acusações entre os países do G6 (UE, Estados Unidos, Japão, Austrália, Índia e Brasil) sobre quem foi mais inflexível nas discussões, o Parlamento acredita que a "OMC está mostrando seus limites"."É hora de revisar seus métodos de trabalho e obter novas soluções", segundo a nota.Legitimidade Barón afirmou que, para que a OMC tenha mais legitimidade, necessita ter um caráter "parlamentar", incentivando o diálogo entre representantes dos Parlamentos dos países que a integram.O PE insistirá nos próximos meses na necessidade de equilibrar suas competências com as do Conselho de Ministros da UE.Barón assinalou que isto está previsto no projeto de Constituição Européia, que está em suspenso.O Parlamento Europeu afirmou que, desde o início da rodada, vem "reafirmando a necessidade de um acordo ambicioso para impulsionar o crescimento e estimular o desenvolvimento nos países mais pobres do mundo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.