Europeus vão fornecer 14 turbinas para a usina

Das 18 turbinas de Belo Monte, maioria virá do consócio europeu; as outras 4 serão fornecidas pela argentina Impsa

, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2010 | 00h00

Está praticamente fechada a negociação entre os investidores do projeto da usina de Belo Monte e as empresas para o fornecimento das turbinas que vão gerar a energia da hidrelétrica.

Segundo uma fonte da empresa Norte Energia S.A - formada pelos vencedores do leilão da usina -, das 18 turbinas que serão instaladas, 14 deverão ser fornecidas pelo chamado "consórcio europeu", formado por empresas que possuem fábricas no Brasil. São elas: Alstom, Voith Siemens e Andritz.

Já as outras quatro turbinas deverão ser entregues pela argentina Impsa, que tem fábrica em Pernambuco. O anúncio oficial da assinatura dos contratos de fornecimento de turbinas - bem como das empreiteiras que vão construir a usina - deve ser feito na semana que vem.

O "consórcio europeu" e a empresa argentina venceram a disputa com fornecedores russos e japoneses que também estavam interessados no contrato das turbinas de Belo Monte. Com potência instalada de 11,2 mil megawatts, a hidrelétrica do Rio Xingu será, quando estiver pronta, a terceira maior usina do mundo, atrás apenas de Três Gargantas, na China (22,5 mil MW) e Itaipu, na divisa do Brasil com o Paraguai (14 mil MW).

Participação. O projeto da usina foi licitado pelo governo em abril, com vitória do consórcio Norte Energia, capitaneado pela estatal Chesf, com 49,98% de participação. Depois do leilão, a participação da empresa foi dividida dentro do grupo Eletrobrás da seguinte maneira: Eletrobras e Chesf com 15% cada uma e Eletronorte com 19,98%. Na parte privada, a sociedade é integrada por: Petros (10%), Bolzano Participações (fundo formado por Previ e Iberdrola, com 10%), Funcef (2,5%), Caixa FI Cevix ( parceria da Funcef com Engevix, tem 5%) J. Malucelli Energia (0,25%), Gaia (9%), Sinobras (1%), Queiroz Galvão (2,51%), OAS (2,51%), Contern Construções (1,25%), Cetenco Engenharia (1,25%), Galvão Engenharia (1,25%), J. Malucelli Construtora (1%) , Mendes Júnior (1,25%) e Serveng (1,25%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.