finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Evans defende manutenção dos juros nos EUA

O presidente da distrital de Chicago do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Charles Evans, afirmou apoiar a manutenção das taxas de juros próximas a zero por um bom tempo em 2015.

AE, Agencia Estado

27 de março de 2014 | 22h50

"Se o Fed embarcar prematuramente em condições de política monetária mais restritivas, essas ações adversas podem reduzir a inflação a níveis inaceitáveis", afirmou Evans em texto preparado para discurso em Hong Kong. O presidente do Fed de Chicago não possui direito a voto nas decisões de política monetária, mas tem sido um forte apoiador de medidas agressivas para estimular o crescimento econômico.

Na semana passada, a presidente do Fed, Janet Yellen, declarou que os juros devem começar a subir cerca de seis meses após o fim do programa de estímulos.

Evans disse que a economia norte-americana irá acelerar neste ano, mas afirmou que o problema para o banco central é o nível de inflação, que atualmente está bem abaixo da meta de 2%. "Embora a política monetária altamente acomodatícia possa levar ao aumento dos riscos inflacionários hoje, a inflação nos EUA é muito baixa", disse.

A preocupação de Evans é de que a inflação não irá ganhar força rápido o suficiente. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) está próximo a 1% desde o início de 2013 e ele afirmou que há poucos sinais recentes de que isso mudará. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Euafedjuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.