SciCrop
SciCrop

Evento apresenta novas tecnologias para o agricultor

AgriFutura reunirá amanhã e domingo, em SP, 35 especialistas, grandes empresas e 25 startups do setor

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

02 Março 2018 | 05h00

Responsável por 14% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de São Paulo e por cerca de 530 mil empregos diretos, o setor do agronegócio ganhou evento inédito que debaterá, neste fim de semana, soluções inovadoras e tecnológicas para melhorar a qualidade e a competitividade da agricultura local.

AgriFutura reunirá amanhã e domingo, no Instituto Biológico, na capital paulista, 35 especialistas, grandes empresas – entra as quais John Deere e Bayer – e 25 startups que atuam no agronegócio. O objetivo é apresentar ações práticas e equipamentos da chamada internet das coisas principalmente para pequenos produtores, para ampliar a inovação no campo.

São esperados cerca de 2 mil participantes. A entrada é gratuita. “O objetivo é difundir a aplicação de novas tecnologias para reduzir a desigualdade entre pequenos e grandes produtores”, diz o secretário da Agricultura e Abastecimento de São Paulo, Arnaldo Jardim, idealizador do AgriFutura. Segundo ele, 80% dos produtores do Estado são de pequeno porte. Jardim informa que também estarão presentes agentes que podem facilitar o investimento em inovações tecnológicas como Banco do Brasil, BNDES, Desenvolve SP, Fapesp, Inseeds e SP Ventures.

Entre os produtos a serem apresentados está a estação meteorológica de pequeno porte que pode ser instalada em qualquer propriedade rural. 

De acordo com José Damico, presidente da startup SciCrop, desenvolvedora do equipamento, em razão da variedade climática e dos constantes erros de previsão, a medição precisa ser local, o que garante maior acerto nos dados.

“Grandes perdas na agricultura ocorrem em razão do clima, mas se o produtor sabe quando vai chover ou ventar em sua área pode planejar melhor o plantio, a colheita e a pulverização”, afirma Damico. Com dados obtidos nas estações, a SciCrop envia diariamente um informe ao agricultor com previsão do tempo para o dia e para a semana.

“Quem tem monitoramento climático local consegue diminuir em 30% as perdas”, afirma Damico, com base em resultados dos 80 clientes da empresa.

A SciCrop também apresentará um microtransmissor que opera via satélite para ser usado em locais sem acesso à internet. O equipamento é da americana Global Star, da qual a empresa brasileira é representante.

Ressonância. Outra novidade a ser apresentada é o SpecFIT, mini aparelho de ressonância magnética capaz de analisar teor de óleo e de açúcar em grãos e frutas. No caso da laranja, por exemplo, o equipamento mostra a quantidade de suco extraível, o teor de açúcar e calcula seu rendimento.

“A fruta com mais suco e mais doce é mais valorizada na venda”, informa Silvia Paulo de Azevedo, sócia da Fit Instruments, de São Carlos (SP). O produtor também consegue avaliar o melhor momento da colheita, quando a fruta está “no ponto”.

O assessor da Secretaria de Agricultura, Carlos Henrique Paes de Barros, ressalta que o AgriFutura também terá palestras e um desafio a grupos de participantes para criarem, durante o evento, uma solução tecnológica para problemas apresentados pelos agricultores.

“Os trabalhos serão julgados por uma equipe técnica e quem vencer terá o produto patenteado e poderá buscar investidores ou criar uma startup para desenvolvê-lo.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.