Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Eventual compra da GVT deverá ser submetida à Anatel

De acordo com uma fonte do órgão regulador, não há problemas regulatórios que impeçam a negociação

Gerusa Marques, da Agência Estado,

07 de outubro de 2009 | 11h31

Qualquer que seja a companhia a adquirir a operadora de telefonia GVT, o processo tem que ser submetido à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A Telefônica fez nesta quarta-feira, 7, uma oferta pública voluntária para aquisição de até 100% das ações da GVT pelo preço de R$ 48,00 e o grupo francês Vivendi já havia feito uma proposta, há um mês, a um preço de R$ 42,00 por ação.

 

Veja também:

linkTelefônica não vê 'embaraço' para aprovar compra da GVT

 

De acordo com uma fonte do órgão regulador, não há problemas regulatórios que impeçam a Telefônica de adquirir a GVT, principalmente nas operações fora do Estado de São Paulo, área de concessão da Telefônica. Caso o negócio venha a se concretizar, as licenças da GVT em São Paulo terão que ser devolvidas à Anatel.

 

Na semana passada, a GVT deu entrada na Anatel no processo de anuência prévia para a compra da operadora pela Vivendi. O presidente da GVT, Amos Genish, chegou a dar declarações de que a parceria com o grupo francês iria "turbinar" a empresa, permitindo a ampliação da operação para outras regiões.

 

Há duas semanas, Genish e representantes da Vivendi estiveram com o ministro das Comunicações, Hélio Costa, e com conselheiros da Anatel. Na oportunidade, a conselheira da agência Emília Ribeiro disse que não via impedimentos para o negócio.

 

A assessoria de imprensa da GVT informou que as negociações estão sendo feitas com os controladores da empresa: o Swarth Group e a GVT Holland. As propostas de compra da operadora, segundo a assessoria, têm que passar por assembleia dos acionistas da GVT. A previsão inicial de realização da assembleia para analisar a proposta da Vivendi seria no próximo mês.

Tudo o que sabemos sobre:
TelefônicaGVTAnatel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.