Eventual concordata da WorldCom não afeta Embratel, diz Moreira

O presidente da unidade de negócios da Embratel, Levy Cardoso Moreira, disse nesta quinta-feira, após encontro com o ministro das Comunicações, Juarez Quadros, que a eventual decretação de concordata da WorldCom Inc. não afetaria a companhia. "Qualquer coisa que tiver lá de concordata, não afeta aqui", disse Levy ao comentar a situação da WorldCom, controladora da Embratel. Segundo o presidente, a Embratel não faz parte do balanço da WorldCom e, por isso, a empresa não seria afetada por um pedido de concordata. "Se houvesse empréstimo (da WorldCom para a Embratel), aí sim poderia afetar", afirmou. Levy acrescentou que a Embratel não depende de fluxo financeiro de nenhuma outra empresa. Além disso, lembrou que a Embratel não tem dívida e nenhuma operação financeira com o aval da WorldCom. "As operações que a embratel faz são com seus próprios ativos", disse. Informou ainda que a Embratel não tem atrasado salários e seu atendimento técnico operacional está melhor que de anos atrás. Levy Cardoso fez os comentários ao tomar conhecimento da declaração do executivo-chefe da controladora da Embratel, John Sidgmore, de que evitar um pedido de concordata "parece muito mais difícil" para a WorldCom Inc.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.