Evite problemas ao reformar sua casa

Para evitar gastos imprevistos e prazos não cumpridos, é prudente planejar bem a obra, avaliando custos e necessidades. As orientações a seguir, feitas pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), são válidas apenas para pequenas reformas, aquelas mudanças na estrutura da casa que não provocam alterações significativas no projeto original do imóvel.O primeiro ponto a ser observado é se a reforma realmente deve ser feita. Atualmente há uma infinidade de materiais que possibilitam mudanças ou melhorias sem que sejam necessárias intervenções muito complexas. Procure orientação numa loja de material para decoração. Em seguida, faça um projeto do que realmente deve ser reparado. Assim, você pode definir mais precisamente quanto deverá gastar, além de evitar mudanças de rumo no meio da obra, o que pode acarretar atrasos, desperdício de materiais e gastos imprevistos.A contratação de mão-de-obra exige cuidados, pois é a partir da escolha de quem vai executar a obra que se determina como ela vai transcorrer e quais serão os resultados. Antes de fechar a contratação, peça ao profissional pelo menos duas referências de serviços atuais ou anteriores e entre em contato com os antigos contratantes. Solicite no mínimo três orçamentos, tanto para profissionais autônomos como para empresas estabelecidas. Se você não tiver referências do prestador de serviços, consulte o cadastros de associações ou serviços de atendimento ao consumidor, como, por exemplo, o Movimento das Donas de Casa de Minas Gerais (MDC-MG) e o Procon-SP para checar a idoneidade do profissional ou da empresa em questão.Veja como proceder nas principais etapas da reforma:Contratação do serviço Cuidado ao contratar um pedreiro para fazer serviços em que ele não está habilitado como no caso de interferências nos encanamentos ou na parte elétrica da casa. O melhor é solicitar um projeto a um engenheiro para resolver esse tipo de serviço.OrçamentoExija um orçamento prévio. Nele devem constar itens como tipo de serviço, valor da mão-de-obra, equipamentos e materiais a serem empregados e/ou fornecidos, condições de pagamento e datas de início e término dos serviços. Esse é um direito previsto pelo Código de Defesa do Consumidor.ContratoAlém do orçamento, faça um contrato como garantia. Faça constar nome, RG e endereço do contratado (profissional autônomo ou empresa) e do contratante (consumidor), tipo de serviço, endereço do local da reforma, valor da mão-de-obra, descrição dos materiais e dos equipamentos incluídos no preço e o que será considerado extra, pessoa responsável pela aquisição dos mesmos, condições e formas de pagamento, prazos de início e término do serviço, multas para ressarcir atrasos na realização da obra ou no pagamento do serviço e termos de garantia. No contrato deverão constar as assinaturas de ambas as partes e de duas testemunhas.Material de construçãoOpte por materiais de qualidade para realizar a reforma. Por serem mais duráveis, a utilização dos mesmos pode resultar em economia a longo prazo.PagamentoPague o serviço por empreitada, ou seja, defina etapas a serem trabalhadas e só acerte as contas quando elas forem concluídas. Evite o pagamento por dia de serviço, pois é difícil ter uma noção do tempo necessário para cada tarefa e esse sistema pode acabar saindo caro.Caso algum serviço apresente problemas, você tem 90 dias para reclamar, contados a partir da manifestação do problema. A reclamação deve ser feita por escrito diretamente ao fornecedor, no Procon ou no Juizado Especial Cível. Telefones úteis:Idec: (11) 3872-7188Movimento das Donas de Casa de Minas Gerais (MDC-MG): (31) 274-1033Movimento das Donas de Casa da Bahia (Mdccb): (71) 248-6153Procon-SP: (11) 1512

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.