Ex-chairman da Samsung é condenado por crime financeiro

Lee Kun-hee cumprirá pena em liberdade condicional, na Coréia do Sul, e pagará multa de US$ 109 milhões

Associated Press,

16 de julho de 2008 | 07h43

Uma corte sul-coreana condenou, nesta terça-feira, o ex-presidente da Samsung Lee Kun-hee por crime financeiro, mas ele não será preso. A Corte Distrital Central de Seul decidiu dar ao executivo liberdade condicional e multá-lo em 110 bilhões de wons (US$ 109 milhões).   Os promotores públicos tinham pedido uma sentença de sete anos e 350 bilhões de wons (US$ 347 milhões) em multas para Lee, acusado de evasão fiscal e outros crimes.   Lee comandou o mais poderoso conglomerado da Coréia do Sul até abril, quando pediu demissão do cargo depois de acusações feitas por um ex-advogado da companhia.

Mais conteúdo sobre:
Samsung

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.