Ex-diretor do BC espera neste mês corte de 4 pontos na Selic

O diretor do Banco Itaú e ex-diretor do Banco Cenral, Sérgio Werlang, disse que há espaço para que o Comitê de Política Monetária (Copom) possa reduzir em quatro pontos porcentuais a taxa básica de juros na reunião deste mês, o que levaria a Selic, a taxa básica de juros da economia de 26% para 22% ao ano. O economista disse que outra opção do Comitê poderia ser o corte da taxa em dois pontos, conjugado com uma redução do compulsório sobre os depósitos à vista ? parcela de recursos que os bancos têm que recolher ao Banco Central (BC). Segundo Werlang, esses cortes poderiam ocorrer sem que seja afetada a meta de inflação para 2004 ? de 5,5%, com margem de tolerância de 2,5 pontos porcentuais para cima ou para baixo. Ele admitiu, porém, que o Copom poderá ser mais cauteloso porque em geral há uma tendência de conservadorismo em momento inicial de trajetória de queda dos juros. O banqueiro disse também que há espaço para que a taxa básica de juros possa chegar ao final deste ano em patamar entre 19% e 18,5% ao ano. Segundo ele, caso os juros comecem a cair rapidamente, a economia poderá registrar um crescimento de 1,5% a 1,8% em 2003 e de 3% em 2004. Werlang ressaltou que para crescer acima de 3,5% ao ano, de maneira sustentada, o Brasil necessitará de reformas estruturais, além de reformas microeconômicas e "obstinação" com equilíbrio fiscal no longo prazo. Werlang participou do seminário "Política Monetária: choques e eficácia", realizado hoje pelo BC, no Rio.

Agencia Estado,

11 Julho 2003 | 17h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.