finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Ex-diretor do BC prevê elevação da Selic

"Eu não vou ficar surpreso se isso (a elevação da taxa básica) acontecer ainda na reunião de setembro", disse o ex-diretor do Banco Central e consultor José Júlio Senna, durante entrevista ao Jornal das Dez, da Globo News. Ele explicou que em toda fase de crescimento econômico se tem que tentar entender se esse crescimento está sendo puxado pela demanda ou empurrado pela oferta. "E há indícios importantes, no Brasil, de que esta fase de crescimento que a gente está vivendo agora está sendo mais puxado pela demanda do que empurrado pela oferta", avaliou. "É o caso típico em que aumento de taxa de juros de faz necessária."José Júlio Senna explicou que é necessário um aumento dos investimentos do setor privado para dar uma resposta das condições de oferta. Além disso, segundo ele, o governo deveria tomar medidas urgentes para acelerar os investimentos e impedir o gargalo da infra-estrutura. "Eu vejo o governo muito apegado a um modelo que ele imaginou adequado para o Brasil, as Parcerias Público-Privadas, que está andando lentamente no Congresso. Eu não sei se não seria mais sensato imaginar-se um caminho alternativo", sugeriu Senna. "Pelo menos enquanto esse não chega, pensar em alguma outra coisa que pudesse reavivar os investimentos em infra-estrutura."

Agencia Estado,

01 de setembro de 2004 | 09h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.