Ex-executivo da WorldCom declara-se culpado por fraude

O ex-principal executivo financeiro da WorldCom, Scott Sullivan, declarou-se culpado da acusação de ter comandado uma grande fraude contábil que provocou a concordata da companhia. Ele afirmou que, juntamente com outros funcionários, falsificou os balanços financeiros do grupo de 2000 a 2002, mesmo sabendo que "isso era errado". "Eu me arrependo profundamente dos meus atos", disse à juíza Barbara Jones. Sullivan havia sido acusado em agosto de 2002 de fraude contra o mercado mobiliário e envio de documentos falsos à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA. A WorldCom, hoje MCI, pediu concordata em julho de 2002, após ter inflado lucros em bilhões de dólares. O montante da fraude pode chegar a US$ 11 bilhões. Sullivan também implicou "a equipe administrativa em seu mais alto nível" em sua declaração, mas não mencionou o nome do ex-executivo-chefe Bernard Ebbers. Ele concordou em cooperar com os promotores federais nas investigações, o que poderá reduzir sua pena.

Agencia Estado,

02 Março 2004 | 15h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.