Ex-ministro alemão defende aposentadoria aos 80

Wolfgang Clement é apontado como um dos responsáveis por tentar desmontar o sistema de bem-estar social do país

MADRI, O Estado de S.Paulo

22 de agosto de 2012 | 03h10

O ex-ministro da Economia da Alemanha Wolfgang Clement, que hoje faz lobby para o setor energético, propõe que os alemães se aposentem aos 80 anos, "se quiserem", conforme destacou o jornal espanhol El Mundo.

Clement ocupou a pasta de 2002 a 2005 no governo de Gerhard Schroeder e é apontado pelos críticos como um dos responsáveis por tentar desmontar o sistema de bem-estar social alemão, com um plano chamado Agenda 2010.

À época, no entanto, Clement argumentava que o objetivo era reformar o estado de bem-estar social justamente para que ele se sustentasse em longo prazo.

Hoje com 72 anos, Clement afirmou: "Temos de aceitar o fato de que os alemães têm de trabalhar por mais tempo. É a consequência lógica da mudança demográfica. Quem quiser e puder deve seguir trabalhando até os 75anos ou mesmo 80 anos.

Espaço no mercado. O jornal entrevistou o fundador de um banco de empregos no qual idosos alemães oferecem mão de obra em trabalhos temporários. O criador desse portal observou que nos próximos 30 anos a Alemanha terá 7 milhões de habitantes a menos e faltará mão de obra, abrindo espaço no mercado de trabalho para os mais velhos.

Muitos economistas e estudiosos sempre olharam para o grande estado de bem-estar social da Europa como uma das principais causas da crise da dívida fiscal.

Os governos das principais economias da região têm sido obrigados a adotar rigorosos planos de austeridade, que têm no corte dos benefícios sociais seu principal alvo.

Entre eles, um extremamente polêmico, e duramente criticado pela população que se recusa a continuar pagando a maior parcela da conta, é o aumento da idade mínima para se requerer aposentadoria. / S.G.C. COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.