Dida Sampaio/Estadão - 27/3/2018
Dida Sampaio/Estadão - 27/3/2018

Ex-ministro diz que governo estuda zerar PIS/Cofins do diesel

Medida teria custo de R$ 13,5 bilhões aos cofres públicos; para o ministro Blairo Maggi, país está na "iminência de um grave conflito social"

O Estado de S.Paulo

27 Maio 2018 | 19h22

BRASÍLIA - Após se reunir com o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) na tarde deste domingo, 27, no Palácio do Planalto, o deputado e ex-ministro Osmar Terra (MDB-RS) admitiu que o governo estuda a possibilidade de zerar o PIS/Cofins do preço do diesel para negociar o fim da greve dos caminhoneiros, o que teria custo de R$ 13,5 bilhões aos cofres públicos, com impacto inclusive na arrecadação de janeiro. Ele tem atuado na interlocução do governo com entidades dos caminhoneiros e participado das reuniões de acompanhamento com o presidente Michel Temer.

+++ AO VIVO: Acompanhe a greve dos caminhoneiros em tempo real

Por causa da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), seria preciso encontrar uma fonte de compensação financeira para eliminar o imposto. A proposta de zerar o PIS/Cofins foi incluída no projeto de reoneração da folha de pagamento por deputados na semana passada contra a vontade de governo e agora o texto está no Senado. "O governo está estudando essa possibilidade. Tudo é possível", disse Terra neste domingo.

++Governo se reúne com distribuidoras para evitar disparada do preço no fim da greve

Segundo fontes, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), já disse a aliados que não vai pautar o projeto enquanto não houver uma solução por parte do governo para a questão do PIS/Cofins.

++Motoristas de carros com GNV aproveitam maior demanda por corridas de app

Osmar Terra afirmou ainda que o governo fez o acordo com algumas entidades na última quinta-feira, 24, porém outros caminhoneiros que continuam obstruindo as estradas "não entenderam ou não aceitaram" as propostas e também precisam ser chamados para conversar. "O governo precisa ouvir os caminhoneiros de novo, todos precisam ser ouvidos."

++AGU orienta PRF a aplicar multas que chegam a R$ 100 mil por hora

Inicialmente, de acordo com ele, as reuniões serão apenas com técnicos da Casa Civil para que as entidades apresentem suas demandas. Entre os participantes da conversa deste domingo estão representantes do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Carga de Volta Redonda e Região Sul Fluminense.

++Custo de medidas para caminhoneiros já chega a R$ 13,4 bi e pode subir para R$ 26,9 bi

O deputado disse que é preciso resolver logo a paralisação dos caminhoneiros porque "a população está sofrendo", mas ele ponderou que não é possível "resolver tudo num passe de mágica". "Com a força que esse movimento tem, não podemos ignorar a negociação política", justificou Osmar Terra.

++Pelo menos 10 aeroportos estão sem combustível em razão da greve dos caminhoneiros

Conflito social. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, demonstrou, neste domingo, 27, preocupação com a paralisação de caminhoneiros. Segundo ele, com o movimento, que completa sete dias, "a economia brasileira está sendo asfixiada. Todos estamos na iminência de um grave conflito social", relatou em comunicado. "A saída está na política, mas é necessário algum tempo."

++Caminhoneiros chegam ao Palácio do Planalto com 'pauta mais gorda' de reivindicações

O ministro admite não saber a resposta ao ser indagado sobre o fim da paralisação, mas que o governo está trabalhando para achar uma saída. "O problema é econômico e político ao mesmo tempo. O governo estuda como atender uma nova pauta de reivindicações enviada por 'lideranças' do movimento, mas não se sabe exatamente com quem finalizar esta negociação", informou Maggi.

++Greve dos caminhoneiros: confira a situação nos Estados

Segundo o ministro, "o bom senso deve prevalecer", com a suspensão por 15 dias do movimento até que haja o abastecimento do País. Maggi cita que fábricas de ração estão paradas e os alimentos não chegam aos animais. "Pelo lado da agricultura e pecuária, as coisas estão fora de controle, bilhões de aves e suínos estão ameaçados de morte por falta de alimentos. Navios (estão) esperando para embarcar mercadorias para a exportação", explicou.

++Caminhoneiros voltam a fazer manifestações na Anhanguera

Por fim, Maggi cita que o Ministério da Agricultura participa do comitê de crise, tenho ouvido todos os lados e "todos têm razão", relatou. "Daí vem a necessidade de uma trégua e de diálogo contínuo sem radicalização." / JULIA LINDNER, TÂNIA MONTEIRO, FERNANDO NAKAGAWA, RAFAEL MORAES MOURA E GUSTAVO PORTO

Greve dos Caminhoneiros AO VIVO

Acompanhe aqui outras notícias sobre a greve dos caminhoneiros minuto a minuto

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.