Ex-operadores do Santander tentam novo habeas-corpus

Um novo habeas corpus com pedido de liminar a favor dos ex-operadores do Banco Santander Marcos Aylon Leão Luz e Roberto Cantoni Rosa foi impetrado hoje pelos advogados deles no Tribunal do Justiça (TJ) de São Paulo. Na sexta-feira, o TJ havia negado a medida liminar em outro pedido de habeas corpus impetrado a favor dos dois.Os dois foram presos dia 20 de fevereiro, juntamente com o também ex-operador Lincoln Dias Miranda, com base em prisão provisória decretada pelo juiz Marcos Zilli, do Departamento de Inquéritos Policiais (Dipo), a pedido da Delegacia de Roubo a Bancos da Polícia Civil de São Paulo. Mas na quinta feira o juiz decretou a prisão preventiva dos dois e determinou a libertação de Miranda."O primeiro habeas corpus havia sido impetrado com base na prisão provisória e perdeu os fundamentos após a decretação da preventiva, daí termos impetrado o novo pedido hoje", informou o advogado Fernando Castelo Branco, que defende os ex-operadores.Os três são acusados de realizar operações fraudulentas que teriam causado um rombo de US$ 1,9 milhão na Tesouraria do Santander. Uma quarta pessoa, Alcyr Duarte Colasso Júnior, diretor da Corretora Ipanema, é acusada de dar sustentação às fraudes. Sua prisão provisória já foi decretada e ele se encontra foragido. Os ex-operadores negam as fraudes e dizem que passaram a sofrer represálias de seus superiores, depois que se negaram a maquiar números em operações que seriam destinadas a reduzir os lucros do banco nos balanços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.