Ex-presidente Líbano Barroso deixa o grupo TAM

O executivo Líbano Barroso deixou ontem suas funções na companhia aérea TAM. Barroso estava no grupo desde 2004 e ocupava o cargo de vice-presidente da holding TAM S/A, que tem como subsidiária a companhia aérea, a de aviação executiva e a rede de fidelidade Multiplus.

MARINA GAZZONI, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2012 | 03h08

A saída de Barroso já era esperada pelo mercado desde o início de agosto, quando deixou o cargo de CFO (Chief Financial Officer) da Latam Airlines para ser vice-presidente da TAM. O executivo não teria aceitado se mudar para Santiago, onde fica a sede da Latam, segundo fontes do setor.

Barroso deixou o cargo de presidente da TAM Linhas Aéreas em fevereiro deste ano para assumir a função de CFO da Latam Airlines. Na ocasião, o presidente da TAM S/A, Marco Antonio Bologna, passou a acumular também a função de principal executivo da companhia aérea.

Barroso assumiu a presidência da TAM em outubro de 2009 e esteve à frente da implementação de uma estratégia de segmentação do preço das passagens aéreas. A estratégia visa maximizar os ganhos em horários de pico com os passageiros que viajam a trabalho e oferecer tarifas mais baixas em voos menos competitivos para atrair os clientes que viajam a lazer.

Na companhia área, o executivo também foi vice-presidente de finanças, gestão, tecnologia da informação e diretor de relações com investidores. Ele acumulou o cargo de diretor-presidente da rede Multiplus Fidelidade entre 2009 e 2010.

Latam. Com a saída de Barroso da função de CFO da Latam, os profissionais chilenos passaram a ser maioria na diretoria da empresa. O cargo foi preenchido pelo chileno Alejandro de la Fuente, que era vice-presidente de finanças da LAN desde 1995. A diretoria da Latam também é composta por Bologna e por Ignacio e Enrique Cueto, que eram os controladores da LAN.

As companhias aéreas TAM e LAN concluíram o processo de fusão no dia 22 de junho e formaram a Latam Airlines.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.