Ex-trader do JP Morgan é preso na Espanha por fraude de US$ 6 bi

Javier Martin-Artajo, de 49 anos, teria falsificado registros bancários para cobrir o rombo bilionário de uma carteira de investimento 

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

27 de agosto de 2013 | 20h50

Um ex-trader do banco JP Morgan, que estava sendo procurado pelos EUA por alegadamente ter falsificado registros bancários para cobrir até US$ 6 bilhões em prejuízos com negociações, foi preso nesta terça-feira em Madri, afirmou a polícia espanhola.

Um comunicado disse que Javier Martin-Artajo, de 49 anos, foi preso ao se entregar à polícia em Madri, após ser localizado. Promotores dos EUA apresentaram no início deste mês acusações criminais contra Martin-Artajo e outro ex-trader do banco, Julien Grout.

Os dois foram acusados de falsificar o valor de mercado de uma carteira de investimento para esconder a queda forte do preço. A carteira deu um prejuízo de US$ 6 bilhões para o JP Morgan, o maior banco dos EUA em ativos. Grout e Martin-Artajo trabalhavam em Londres para o JPMorgan.

Fonte: Dow Jones Newswires

Tudo o que sabemos sobre:
JPMorgan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.