Exclusões superam inclusões em lista de proteção ao crédito

Levantamentos da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) mostra que o número de exclusão de nomes no Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) em dezembro atingiu 369.798, superando a quantidade de registros recebidos (319.548). O presidente da entidade, Guilherme Afif Domingos, chama atenção para o fato de que isto não ocorria desde dezembro de 1967."Os brasileiros preferiram limpar o nome na praça assim que tiveram um pouco mais de dinheiro disponível no bolso", opina Afif Domingos, citando o recebimento do 13º salário e também do aumento do nível de emprego no País, que aumentou a renda disponível para consumo. "A opção foi por quitar ou renegociar as dívidas, o que se refletiu na exclusão de mais nomes no SCPC."O número de registros recebidos caiu 5,7% de novembro para dezembro, e em relação a dezembro de 2003 representa uma alta de 1,3%. Já os registros cancelados aumentaram 33,5% frente a novembro, e 28,4% na comparação com o mesmo mês do ano anterior.Outra queda apontada pela pesquisa foi do número de títulos protestados, que em dezembro deste ano somou 54.217, ou seja, 30% menor do que o registrado em igual mês de 2003. Em relação a novembro, entretanto, representou alta de 1%. O número de falências requeridas, por outro lado, foi prejudicado pela greve do Fórum, e subiu 18,2% em relação a novembro e 4,4% frente dezembro de 2003, totalizando 455.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.