Execução de hipotecas nos EUA dispara, desemprego permanece

As execuções de hipotecas nosEstados Unidos atingiram um recorde no último ano em meio àcrise do mercado de hipotecas de alto risco (subprime) que estáagora contabilizando suas perdas na economia como um todo eforçando muitos desempregados a se manterem com oauxílio-desemprego, mostraram dados nesta quinta-feira. A Associação de Bancos de Hipotecas afirmou nestaquinta-feira que a taxa de inadimplência atingiu seu maiornível desde 1985 nos últimos três meses de 2007, influenciadaprincipalmente pela onda crescente de tomadores subprimeimpossibilitados de realizar seus pagamentos. Além disso, o Departamento do Trabalho relatou que o númerode trabalhadores usando o auxílio-desemprego está no maiornível em mais de dois anos. Para os varejistas, o cenário também não é muito favorável.O setor reportou resultados mistos nesta quinta-feira, comalguns sinais de aperto à medida que consumidores sem dinheiroestão preferindo pontas de estoque para poderem economizar. "O epicentro da atual dificuldade da economianorte-americana é o setor imobiliário", disse John Lonski,economista-chefe da Moody em Nova York. Dados divulgados separadamente pela Associação Nacional deCorretores de Imóveis mostrou que seu índice de contratospendentes para a compra de imóveis usados ficou inalteraldo emjaneiro. No entanto, analistas disseram que ainda é cedo paradizer que esses dados apontam para uma recuperação do mercadoimobiliário. "O mercado imobiliário ainda etá mal-humorado. Os níveis deestoques estão altos, a confiança dos compradores está baixa, ea perspectiva econômica está incerta", disse Mika Larson,analista imobiliária da Weiss Research na Flórida. "O Federal Reserve está tentando aquecer a demanda do setorimobiliário com cortes nos juros. Mas a turbulência do mercadoimobiliário e os poucos emprestadores estão frustrando estesesforços até agora", acrescentou ele. Os títulos do governo norte-americano subiam nestaquinta-feira à medida que investidores fugiam para ativos maisseguros com o temor de uma recessão nos Estados Unidos,enquanto as bolsas operavam no vermelho, com o índice Dow Jonecaindo mais de 1 por cento. Ressaltando o mau desempenhos dos mercados acionários, oFederal Reserve divulgou nesta quinta-feira dados mostrando quea renda líquida dos norte-americanos caiu pela primeira vez emcinco anos no quarto trimestre do último ano como resultado dodeclínio do valor de imóveis e ações. REUTERS FG IV

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.