Executivo de serviço de troca de bitcoin foi preso

No fim de janeiro, dois executivos do serviço de troca de bitcoins BitInstant foram presos sob acusação de lavagem de dinheiro e de vender bitcoins para usuários do Silk Road comprarem drogas ilegais nos EUA. O Silk Road é um mercado negro da internet onde drogas ilegais podem ser compradas com bitcoins. O CEO do serviço Bit Instant, Charlie Shrem, e um dos seus funcionários, Robert Faiella, foram acusados de vender mais de US$ 1 milhão em bitcoin. A BitInstant chegou a levantar US$ 1,5 milhão em investimentos, mas suspendeu suas operações.

O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2014 | 02h14

O governo alega que empresas de pagamento como a BitInstant devem coletar informações sobre seus clientes, monitorar suas transações e reportar transações suspeitas ao governos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.