Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Executivo do Fed defende maior regulação financeira

O vice-presidente e diretor de pesquisa do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) de Atlanta, David Altig, alertou hoje para a necessidade de maior regulação no sistema financeiro, especialmente nos EUA. "O combustível para novas crises financeiras não acabou. É preciso ter em mente que coisas ruins vão acontecer e (precisamos) estar preparados para gerenciar falências e perdas", afirmou, durante palestra no 4º Congresso Internacional de Mercados Financeiro e de Capitais da BM&FBovespa.

LUCIANA XAVIER, Agencia Estado

29 de agosto de 2009 | 15h04

Para Altig, como não é possível evitar novas crises, é importante encontrar meios para mitigá-las. Ele citou um estudo de James Thomson, vice-presidente de análises do Fed de Cleveland, que mostra que novos critérios de regulação e supervisão das instituições financeiras devem levar em conta o tamanho e se a ela é muito grande para falir.

A regulação deve considerar os quatro C''s (contágio, concentração, correlação e contexto), que permitem determinar quais os riscos que a falência de uma instituição traz para o sistema financeiro. Altig reconhece que esse processo pode levar algum tempo, mas acredita que será levado adiante mesmo quando a economia norte-americana já estiver crescendo. Segundo ele, não deve haver pressa em adotar novas regras e em definir quem fará essa fiscalização. O executivo reconhece, no entanto, haver riscos de se concentrar muitos poderes nas mãos do Fed, retirando o foco de sua principal atribuição, que é a de conduzir a política monetária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.