coluna

Carolina Bartunek: ESG, o que eu tenho a ver com isso?

Executivo evita falar de Perdigão

O diretor-presidente da Sadia, Gilberto Tomazoni, afirmou ontem que a companhia não tinha nada a acrescentar a respeito das negociações para uma possível associação com a Perdigão. "Não temos nada a acrescentar. O que poderia ser dito já foi dito por meio de comunicado ao mercado", disse, após ser questionado sobre a diferença nos discursos das duas companhias a respeito de um possível negócio.Em 16 de março, a Sadia divulgou comunicado em que dizia analisar "diversas operações de natureza societária", incluindo também "a realização de entendimentos recentes com a Perdigão, com vistas a analisar a viabilidade e a convergência de interesses em algum tipo de associação". Na mesma data, a Perdigão também divulgou comunicado no qual informava que, "embora tenham se desenvolvido discussões preliminares para uma eventual associação" entre a companhia e a Sadia, "as partes não chegaram a qualquer entendimento sobre a matéria". O discurso adotado por executivos das duas companhias a respeito do tema tem seguido essa linha - uns confirmando as conversas, outros negando. Ontem, Tomazoni preferiu não entrar na polêmica.

, O Estadao de S.Paulo

28 de março de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.