carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Executivo prevê parceria entre Petrobras e petrolífera Venezuelana

A crise política e econômica na Venezuela inspira apostas de executivos da área petroquímica sobre uma associação entre a estatal Petroleos de Venezuela, a PDVSA, e a Petrobras. "Em um primeiro momento, será a união por meio de gasodutos, pois toda a América do Sul se integrará em gás dentro de 20 anos", prevê o diretor de vendas para a região da Chevron Philips Chemical, Alberto Morales. O segundo passo da associação, segundo ele, seria no sentido do refino na Venezuela do petróleo pesado produzido no Brasil. "Assim, a Petrobras não precisará investir na conversão de suas refinarias para processar o óleo pesado".Embora a maior parte das reservas brasileiras contenham petróleo pesado, as refinarias da Petrobras foram projetadas para o óleo leve. Por isso, a Petrobras planeja a conversão. Da Venezuela, os derivados poderão retornar ao Brasil ou serem exportados - inclusive para os Estados Unidos.As petrolíferas Chevron Texaco e Conoco Philips possuem parcerias com a PDVSA em exploração, produção e refino. Por isso, Alberto Morales acredita que a estatal brasileira e a venezuelana poderão fechar um acordo parecido, ainda que exclua exploração e produção. "Esse é o momento da Petrobras investir, pois tem boas condições ante empresas afetadas pela recessão, e precisa se expandir", diz o executivo.A PDVSA está firmando parceria com a Shell e a Mitsubishi para extração de gás na Venezuela, o que demonstra a disposição da empresa para outras associações que injetem capital na empresa.Um executivo da Petrobras, que atua na área petroquímica afirma que existe a possibilidade de associação entre as duas empresas, pela proximidade e interesses operacionais, como é o caso do refino de petróleo pesado.Um executivo que recentemente desligou-se da PDVSA afirma que desde 1999 os presidentes Hugo Chávez e Fernando Henrique Cardoso vinham negociando uma associação entre as petrolíferas estatais. Mas não há sinalização quanto a um desfecho.

Agencia Estado,

13 de novembro de 2002 | 17h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.