Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Executivo vende Pirelli, mas mantém poder

Pelos termos do contrato negociado com a gigante ChemChina, Provera negociou o direito de permanecer no poder por até cinco anos e ainda nomear seu sucessor

FERNANDO SCHELLER, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2015 | 02h04

Ao negociar o contrato de venda da Pirelli para os chineses, o executivo Marco Tronchetti Provera, de 67 anos, conseguiu atrair o capital chinês sem abrir mão de continuar a dar as cartas na companhia. Pelos termos do contrato negociado com a gigante ChemChina, Provera negociou o direito de permanecer no poder por até cinco anos e ainda nomear seu sucessor. "Tenho também o contrato de exclusividade para reabrir o capital da empresa dentro de até quatro anos", disse o executivo ao Estado.

O acordo prevê que os sócios chineses possam nomear membros no conselho. Na prática, no entanto, terão poder limitado, pois Provera acumulará os cargos de presidente executivo e presidente do conselho. "Só eu poderei apresentar propostas ao conselho. E os outros membros só terão o direito de recusá-las caso elas sejam contrárias ao interesse da Pirelli."

A busca da Pirelli por novos sócios não é nova. Há um ano, Provera vendeu metade da holding Cemfin à petroleira russa Rosneft, mas se viu em um imbróglio diplomático quando os Estados Unidos impuseram barreiras econômicas à Rússia. Com a venda da totalidade da Cemfin aos chineses, destacou a revista Fortune, a empresa não se livra apenas deste problema, mas também garante a capitalização da companhia sem abrir mão do poder.

"O acordo reflete os desafios enfrentados por grandes companhias italianas comandadas por dinastias familiares: os comandantes querem que as companhias sejam competitivas em escala global e, ao mesmo tempo em que mantêm o controle patriarcal", apontou a Fortune. Provera entrou para a família Pirelli há cerca de 30 anos, por meio de um casamento.

Para a Pirelli, a associação trará um salto global no segmento de pneus para caminhões e ônibus. Nos cálculos de Provera, a empresa passará da 15ª para o 4ª ou 5ª posição no segmento.

Preço. O valor de 15 por ação representa um ganho de 30% em relação à média recente do valor pago pela Rosneft há um ano. Nas últimas semanas, já sob o efeito dos rumores de acordo, o papel da Pirelli subiu bastante - ontem, fechou a 15,50, o que pode encarecer o fechamento de capital da companhia, prevista para julho.

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. PauloPirelli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.