Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Exército ajuda Receita no combate ao contrabando

No combate ao contrabando na fronteira do Brasil com o Paraguai, a Receita Federal conta, desde segunda-feira, com o apoio de 120 homens do 34º Batalhão de Infantaria Motorizada (BIMtz) de Foz do Iguaçu. Armados, os soldados estão espalhados por estradas rurais e, sobretudo, no posto da Receita, na BR-277, em São Miguel do Iguaçu, a 600 quilômetros de Curitiba. Eles dão o apoio para que os fiscais façam as vistorias nos veículos com total segurança.Até a tarde desta terça, 13 carros foram interceptados com mercadorias que, segundo os fiscais, se destinavam a fins comerciais, o que é proibido pela lei. Eles foram levados ao pátio da Receita, com exceção de um, que tem um fundo falso e estava lotado de produtos de informática, que foi para a Polícia Federal. Os motoristas têm prazo para recorrer da apreensão."A operação terá como objetivo o combate contra os delitos transfronteiriços e ambientais na faixa de fronteira e aprofundar o bom relacionamento com os órgãos de Estado das áreas de segurança pública e de fiscalização", disse em uma nota o comandante do 34º BIMtz, coronel Carlos Maurício Malinverni de Souza. Esta é a segunda vez este ano em que o Exército coopera com os fiscais da Receita na região de Foz do Iguaçu.A primeira, em julho, teve a iniciativa do próprio Exército, que pretendia, segundo o Departamento de Relações Públicas do batalhão, o "adestramento da tropa". Em razão dos bons resultados conseguidos com essa cooperação, a Receita Federal convidou-os novamente para o trabalho em conjunto. Em princípio, vai até o dia 23, mas a Receita não descarta a possibilidade de estender por mais tempo.Desde 2003, a Receita Federal intensificou a repressão ao contrabando. Primeiro, no combate aos comboios, que chegavam a reunir dezenas de ônibus e dificultavam a fiscalização. Agora, a tendência é fiscalizar mais os automóveis. Como os motoristas procuram ludibriar os fiscais desviando por estradas secundárias, a presença dos soldados do Exército para fazer os bloqueios é importante.Nesta terça pela manhã a Receita Federal iniciou também uma operação centrada nas motocicletas que cruzam a Ponte da Amizade, que une Foz do Iguaçu a Ciudad del Este, no Paraguai. O objetivo é evitar que elas sirvam para o transporte de mercadorias ilegais. Nessa operação, os fiscais têm o auxílio da Polícia Federal.Até a tarde não havia um balanço sobre o trabalho na ponte, mas a assessoria de imprensa da Receita informou que aumentou o número de pessoas na fila para declaração das mercadorias. Até agora as ações repressivas da Receita vêm dando resultados positivos. No ano passado foram apreendidos US$ 62 milhões em mercadorias contrabandeadas. Até julho deste ano o volume estava em US$ 42 milhões.Matéria alterada às 17h40 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.