Denny Cesare/Cógido19
Denny Cesare/Cógido19

Exército libera acesso a refinarias bloqueadas pela greve dos caminhoneiros

Tropas fazem escolta e ajudam a liberar acessos da Refinaria de Paulínia (Replan), no interior de São Paulo, e do Complexo de Suape, na região metropolitana do Recife

Fernanda Nunes e José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

26 Maio 2018 | 14h37

RIO e SOROCOBA - A Petrobrás informou neste sábado, 26, que todas as suas unidades estão em operação e que busca apoio das autoridades para que sejam tomadas medidas que garantam a circulação nas refinarias onde há bloqueio de caminhoneiros nas vias de acesso.

+++ AO VIVO: Acompanhe a cobertura em tempo real da greve dos caminhoneiros

"A partir das refinarias, os combustíveis seguem para as distribuidoras, que estão gradativamente retomando o abastecimento, priorizando os serviços essenciais. O apoio recebido das forças de segurança tem se configurado essencial para o esforço necessário neste momento", informou a empresa em resposta ao Estadão/Broadcast sobre a presença do Exército e da polícia em suas unidades produtivas.

+ Caminhoneiros seguem com manifestações em rodovias neste sábado

Pernambuco. Na tarde deste sábado, Exército e Polícia Militar foram para o Complexo de Suape, na região metropolitana do Recife, para liberar a saída de caminhões-tanque, que estavam sendo impedidos de deixar o local por causa de um bloqueio.

++ Greve dos caminhoneiros chega ao 6º dia

Com ajuda policial, eles saíram carregado de querosene com destino ao Aeroporto Internacional do Recife,  para abastecer os aviões. Dez caminhões deixaram o local com apoio de 50 viaturas da polícia e dois ônibus do Batalhão de Choque. A crise de abastecimento levou mais cedo o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, a decretar estado de emergência e a pedir apoio do governo federal. 

++ PRF já aplicou 349 multas que totalizam R$ 1,77 milhão

São Paulo. No início da tarde, tropas do Exército ocuparam os acessos da Refinaria de Paulínia (Replan), maior refinaria de petróleo da Petrobrás, no interior de São Paulo. Por volta das 13h40, caminhões, ônibus e viaturas da 11ª Brigada de Infantaria Leve, sediada em Campinas, formaram um cordão nos portões de entrada da Replan, obrigando os caminhoneiros em greve a deixarem o local.

Os caminhoneiros recuaram para uma área no entorno da Rodovia Zeferino Vaz (SP 332) e ainda estavam concentrados no local. Com a ação do Exército, seriam liberados veículos de combustível para abastecer o Aeroporto Internacional de Viracopos.

++'Nosso foco é solução da crise sem conflitos' diz comandante do Exército

A ocupação aconteceu em cumprimento à ordem do presidente Michel Temer de desbloquear os acessos a refinarias e rodovias de escoamento de combustível. Os militares se deslocaram em 26 viaturas e ao menos quatro ônibus, com apoio de um helicóptero.

Conforme nota do Ministério da Defesa, a ação deveu-se ao cumprimento da ordem de “garantir a distribuição de combustível nos pontos críticos; escolta de comboios; proteção de infraestruturas críticas; e desobstrução de vias e acessos às refinarias, bases de distribuição de combustíveis e áreas essenciais, a fim de evitar prejuízos à sociedade”.

++Polícia escolta carreta para abastecer viaturas e ambulâncias em Jundiaí

Vale do Paraíba. As Forças Armadas com batalhões em Caçapava, Taubaté, Pindamonhangaba, Guaratinguetá e Lorena estão prontas aguardando comando para agir nas ações de escolta de comboios e distribuição de combustíveis, além de desobstruir os acessos às refinarias.

Nesta fim da tarde desta sexta-feira, 25, os militares do Comando de Aviação do Exército de Taubaté sobrevoaram as rodovias Presidente Dutra, Carvalho Pinto, Anhanguera e Dom Pedro mapeando os pontos críticos.

Mais conteúdo sobre:
Replan greve caminhoneiro combustível

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.