carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Expansão dos cartões de débito deve continuar

O presidente da Visa do Brasil, Eduardo Gentil, prevê que o ritmo de crescimento da utilização de cartões de débito deve se manter no País nos próximos anos em razão do avanço dos índices de bancarização da população.O mercado de plásticos com esta função vem registrando variações de 50% ao ano, resultados também associados ao estágio de desenvolvimento deste meio de pagamento no Brasil. Os cartões de débito ainda estão em ascensão. Calcula-se que de uma população potencial de 110 milhões de pessoas, 40 milhões não têm conta corrente.As empresas de cartões e bancos estão avançando para dentro do País, por meio do Banco Popular, dos correspondentes bancários e da concessão de cartões, o que está incluindo importantes parcelas da população ao sistema financeiro, explicou Gentil.Neste ano, o crescimento de faturamento gerado por cartões de portadores que moram em 1.000 dos menores municípios brasileiros cresceu cerca de 70%, enquanto na média nacional o percentual foi de 30%. Ele acrescentou também que o cartão de débito tende à expansão porque o processo de migração do cheque e dinheiro para os meios eletrônicos vem se intensificando, afetando também o mercado de cartão de crédito. Esta é a principal causa para o crescimento médio anual de 17% do sistema nos últimos anos. PerspectivasPara 2005, Gentil afirmou que a previsão da Visa é de repetição dos resultados de 2004, quando o faturamento deve registrar um avanço de 25% a 30% em números nominais. O crescimento, segundo ele, será suportado menos pelas novas emissões e mais pelo aumento de ativação dos plásticos e expansão dos cartões corporativos, área que no Brasil ainda engatinha, representando menos de 1% dos negócios.A Visa do Brasil, com um faturamento estimado de R$ 72 bilhões em 2004, responde por 1% do volume de vendas da Visa em todo o mundo e 8% do total de plásticos. Na região da América Latina e Caribe, o Brasil representa 60% do faturamento e 42% dos plásticos emitidos.

Agencia Estado,

02 de dezembro de 2004 | 16h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.