Expansão econômica nos EUA firmou-se, destaca Greenspan

O presidente do Fed (banco central dos Estados Unidos), Alan Greenspan, disse, em seu primeiro depoimento ao Congresso norte-americano neste ano, que a expansão econômica firmou-se e que o núcleo da inflação - excluídos preços sazonais - mantém-se baixo. O presidente do Fed afirmou também que os mercados financeiros mostram-se confiantes nas perspectivas para a economia dos EUA. Ele disse ainda que os gastos dos consumidores norte-americanos estão se mantendo de uma forma satisfatória, impulsionados pelo crescimento da renda disponível e por ganhos no valor líquido - gerados pelo crescente valor de seus imóveis e pelas taxas de juros baixas.O presidente do Fed destacou que as condições econômicas melhoraram durante o último semestre, com os gastos com consumo mantendo-se fortes e com melhora na confiança dos empresários. "A economia parece ingressar em 2005 com expansão em ritmo razoavelmente bom, com a inflação e as expectativas para a inflação bem ancoradas", disse Greenspan. "De modo geral, os mercados financeiros parecem partilhar desta visão", dissePoupançaGreenspan ainda notou que os consumidores estão economizando menos, apenas 1% de suas rendas, em média, na comparação a uma taxa de 7% nas três décadas anteriores. No entanto, o aumento dos valores dos imóveis e a alta do mercado acionário têm superado o ritmo do aumento do endividamento, fazendo com que a proporção do valor líquido das famílias em proporção à renda se mantenha acima dos níveis históricos. Greenspan observou que a reversão dessa tendência deve levar os americanos a pouparem mais. Para a autoridade máxima do Fed, é crítico que os EUA ampliem sua poupança interna.As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.