Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Expectativa de corte de juro nos EUA puxa mercados na Ásia

As bolsas de valores da Ásia fecharamem alta nesta quinta-feira, incentivadas por comentários de umalto representante do Federal Reserve que motivaramexpectativas de corte de juro nos Estados Unidos para apoiar aeconomia do país. O vice-chairman do banco central norte-americano, DonaldKohn, assinalou um interesse de redução nos custos deempréstimos, afirmando que as turbulências dos mercadosfinanceiros podem reduzir o ritmo da economia dos EUA e que oFederal Reserve precisa ser flexível. Os comentários, feitos um dia depois de outros doisrepresentantes do Fed terem indicado que não apoiarão um cortede juros na próxima reunião da autoridade monetária, em 11 dedezembro, fizeram as ações em Wall Street subir. O Dow Jonessaltou 2,6 por cento, o maior ganho percentual em quatro anos emeio. Os mercados asiáticos foram no embalo, com a bolsa deTÓQUIO subindo 2,38 por cento e o índice MSCI que mede osoutros mercados da região Ásia-Pacífico exibia alta de 2,44 porcento, a 530,36 pontos, às 7h30 (horário de Brasília). O indicador MSCI ainda está cerca de 10 por cento abaixo dorecorde de 1o de novembro, mas acumula alta de perto de 30 porcento no ano, três vezes os 10 por cento de ganho do índicemundial MSCI de ações no período. "Os mercados estão saltando com alívio de que pode haver umcorte de juros no momento", disse Neale Goldston-Morris,diretor de estratégia de ações no Macquarie Equities, emSydney. "Mas ainda há muita dificuldade pelo caminho." "Até que os mercados de crédito retornem à normalidade,será difícil ver os mercados de ações trilhando um caminhoconsistente pela frente." As ações de bancos, recentemente atingidas por preocupaçõescom bilhões de dólares sendo considerados como baixas contábeisdurante a crise de crédito, se recuperaram e o Mitsubishi UFJdisparou 6,1 por cento e o Citigroup saltou quase 8 por centoem Tóquio. A bolsa de SEUL subiu 2,34 por cento, a 1.877 pontos, HONGKONG saltou 4,06 por cento, XANGAI disparou 4,16 por cento eTAIWAN teve valorização de 2,06 por cento. Em CINGAPURA houve alta de 3,22 por cento e SYDNEY encerrouvalorizada em 1,17 por cento.

TOMAZ JANOWSKI, REUTERS

29 de novembro de 2007 | 08h18

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.