Expectativa de estímulos na China impulsiona ações

As ações europeias fecharam em alta nesta quinta-feira, em sessão de fraca negociação e impulsionadas por expectativas de estímulos econômicos na China, apesar das incertezas sobre a reforma fiscal da Espanha.

Reuters

27 de setembro de 2012 | 13h47

O índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 fechou com alta de 0,39 por cento, a 1.103 pontos, segundo dados preliminares.

As ações de mineradoras subiram 1,09 por cento depois que o banco central da China injetou dinheiro nos seus mercados monetários e operadores especularam que o país também poderia tomar passos para estimular o seu fraco mercado de ações, para segurar uma desaceleração do crescimento econômico.

A negociação foi fraca, entretanto, com o governo espanhol atrasando uma coletiva de imprensa destinada a revelar as suas reformas econômicas, que começou pouco antes do fechamento do mercado.

"Nós não vamos achar os detalhes do que (o governo espanhol) disse até em três ou quatro dias, quando os grandes documentos forem divulgados e encontrarmos todas as diferenças escondidas", disse o diretor de investimentos da Octopus Investments, Oliver Wallin.

Wallin disse que está segurando compras e "esperando para ver, porque não há convites (do ambiente macroeconômico) para arriscar no momento."

Em LONDRES, o índice Financial Times subiu 0,20 por cento, a 5.779 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX teve alta de 0,19 por cento, para 7.290 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 teve ganhos de 0,72 por cento, a 3.439 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib avançou 0,27 por cento, para 15.450 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 recuou 0,15 por cento, a 7.842 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 subiu 0,36 por cento, para 5.232 pontos.

(Reportagem de Francesco Canepa)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAEUROPAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.