Expectativa de pacote de Bush anima mercados

NY, Europa e Ásia registram altas; Bush anunciará medidas para estimular economia.

Da BBC Brasil, BBC

18 de janeiro de 2008 | 14h20

A bolsa de Nova York abriu em ligeira alta nesta sexta-feira diante de expectativas otimistas sobre um pronunciamento do presidente George W. Bush, que deve anunciar, nesta sexta-feira, um pacote de medidas para estimular a economia do país.O índice Dow Jones iniciou o dia com ganhos de 0,97%, enquanto o Nasdaq, especializado em ações de empresas de alta tecnologia, avançava 0,91%. Os resultados acompanham a tendência de alta registrada nas bolsas européias e asiáticas. Por volta das 15h25 de Londres (13h25 de Brasília), a bolsa de Londres operava em alta de 1,24%; a de Frankfurt tinha ganhos de 0,51%; e Paris estava com alta de 0,55%. A tendência de recuperação em relação aos últimos dias, em que os mercados foram fortemente abalados, foi sentida na Ásia, onde os mercados fecharam a sexta-feira em alta apesar de oscilações durante o dia. A bolsa de Tóquio fechou o pregão em alta de 0,56% depois de uma queda de 3%. O índice Hang Seng da Bolsa de Hong Kong também se recuperou de uma baixa de 3,7% para fechar a sexta-feira com ligeira alta de 0,4%.Cingapura e Coréia do Sul também obtiveram resultados positivos. O índice Strait Times registrou 2,66% e o indicador Kospi, 0,7%. VolatilidadeAnalistas acreditam que o mercado de ações continuará volátil até que haja mais evidências sobre os efeitos da crise no mercado imobiliário americano e sobre a capacidade de reaquecimento da economia diante das medidas de emergência que serão anunciadas por Bush."Há um forte ceticismo sobre a habilidade do mercado de retomar os ganhos", disse Richard Urwin, da empresa de investimentos BlackRock. "Mas contra tudo isso, há também um grande potencial de que o mercado não reaja tão mal quando os investidores acreditam", ponderou Urwin.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.