Expectativa do consumidor cai pelo terceiro mês consecutivo, diz CNI

Com o recuo, indicador atinge o nível mais baixo desde junho do ano passado

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

28 de janeiro de 2011 | 14h36

O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) caiu pelo terceiro mês consecutivo, com retração de 1,5% em janeiro, de acordo com dados divulgados há pouco pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Com isso, o indicador chegou ao seu nível mais baixo desde junho do ano passado.

Dentre as variáveis que compõem o Inec, a expectativa de compras de bens de maior valor nos próximos meses foi a que registrou maior queda em janeiro, ficando 3,9% abaixo do patamar atingido em dezembro de 2010. Segundo a CNI, o recuo pode ter sido influenciado pela base de comparação, "uma vez que o período de fim de ano é caracterizado por forte aumento do consumo deste tipo de bens".

Também pelo terceiro mês consecutivo, os consumidores se mostraram mais preocupados com a evolução da inflação, cuja variável apresentou piora de 2,4% em relação a dezembro. As expectativas com relação à própria renda e avaliação sobre a situação financeira também pioraram, 3,6% e 2,2%, respectivamente.

Por outro lado, as variáveis de desemprego e endividamento ficaram mais positivas em janeiro, com variação de 2,4% em relação à pesquisa anterior. Foram ouvidas 2.002 pessoas entres os dias 13 e 18 de janeiro.

O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) caiu pelo terceiro mês consecutivo, com retração de 1,5% em janeiro, de acordo com dados divulgados há pouco pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Com isso, o indicador chegou ao seu nível mais baixo desde junho do ano passado.

Dentre as variáveis que compõem o Inec, a expectativa de compras de bens de maior valor nos próximos meses foi a que registrou maior queda em janeiro, ficando 3,9% abaixo do patamar atingido em dezembro de 2010. Segundo a CNI, o recuo pode ter sido influenciado pela base de comparação, "uma vez que o período de fim de ano é caracterizado por forte aumento do consumo deste tipo de bens".

Também pelo terceiro mês consecutivo, os consumidores se mostraram mais preocupados com a evolução da inflação, cuja variável apresentou piora de 2,4% em relação a dezembro. As expectativas com relação à própria renda e avaliação sobre a situação financeira também pioraram, 3,6% e 2,2%, respectivamente.

Por outro lado, as variáveis de desemprego e endividamento ficaram mais positivas em janeiro, com variação de 2,4% em relação à pesquisa anterior. Foram ouvidas 2.002 pessoas entres os dias 13 e 18 de janeiro. 

Tudo o que sabemos sobre:
Expectativa do consumidorCNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.