Expectativa em relação à operação Petrobras

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em alta de 0,27%, seguindo o comportamento positivo dos mercados internacionais. Há pouco, registrava alta de 0,12%. A Nasdaq - bolsa dos EUA que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - operava em alta de 1,78% e o índice Dow Jones - que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Nova Iorque - está em queda de 0,07%.As ações de Petrobras devem continuar como destaque na Bolsa hoje. O mercado aguarda a divulgação, provavelmente à tarde, do preço para o leilão das ações do governo. Também deve ser divulgado o volume de ofertas com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Amanhã serão lançados seusAmerican Depositary Receipt (ADRs) na bolsa de Nova Iorque. As ações da estatal, que haviam disparado nasegunda-feira, despencaram mais de 3% ontem.Também se espera para esta quarta o encerramento da emissão de bônus globais brasileiros iniciada na sexta-feira passada. O governo está trocando bradies - títulos da dívida brasileira - por bônus globais. O valor da operação é de no mínimo US$ 1 bilhão, sendo que a metade é formada por papéis novos. Dólar estável O mercado de câmbio aposta em mais um dia de tranqüilidade. A cotação do dólar, que subiu ligeiramente na quinta-feira da semana passada, oscila pouco e reflete a tranqüilidade dos analistas frente aos atuais cenáriosnacional e estrangeiro e ao fluxo de dólares equilibrado. Nos últimos dias, o volume de entradas de recursos diminuiu, o que contribui para o dólar ser negociado próximo de R$ 1,80. Há pouco, o dólar comercial era negociado a R$ 1,7940 na ponta de venda dos negócios. Juros em baixa Mesmo com alguns índices de inflação em alta, as taxas de juros continuam caindo. Isso porque os investidores avaliam que o repique da inflação é sazonal, ou seja, é específico dessa época do ano. Além disso, não compromete a meta anual - 6%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagavam juros de 17,390% ao ano, no início da manhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.