Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Expectativas frustradas para o comércio no Dia das mães

O movimento de consultas ao serviço de crédito da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) no Dia das mães foi menor em relação ao ano passado e ficou abaixo do que esperava o presidente da Associação, Guilherme Afif Domingos. Segundo ele, deve se considerar, no entanto, que na comparação com o mesmo período do ano passado houve um dia a menos. "Em função do quadro de restrições que a economia apresenta, com juros elevados e a queda da renda do consumidor, que não ajudaram as vendas do comércio, esperamos que a situação se reverta", disse Afif.O presidente da ACSP espera que em função dos fatos favoráveis que vêm ocorrendo na economia, o Comitê de Política Monetária (Copom) comece a reduzir a taxa de juros, o que permitirá alguma recuperação no segundo semestre.De acordo com os indicadores econômicos da ACSP, o serviço de crédito registrou queda de 13,1% no número de consultas e o UseCheque de 11,1% até o dia 11. Na média diária de consultas para vendas a crédito, a redução foi de 2,2%, enquanto que as consultas com cheque aumentaram 0,1%. "O resultado indica que o fechamento do mês deverá ser mais favorável do que o observado até o momento", conclui Afif.Vendas nos shoppings estáveisA Associação que reúne os lojistas de shoppings (Alshop) informou que as vendas do Dia das mães mantiveram-se estáveis em relação ao ano passado. O aumento de público no final de semana foi de 5%, mas isto não se refletiu nas vendas. Os resultados já eram esperados, segundo o presidente da entidade, Nabil Sahyoun, em razão da conjuntura econômica do País, com os juros altos e perda de renda da população.Os presentes mais procurados, de acordo com sondagem junto às lojas, foram as roupas, CDs, flores, cosméticos, perfumes e acessórios. Os valores ficaram entre R$ 35 e R$ 55. Quanto à forma de pagamento, predominaram os cartões de crédito, débito e venda à vista.Para o Serasa, que mede o nível de atividade do comércio, as vendas na semana do Dia das mães registraram aumento de 4,8% em relação ao mesmo período de 2002. As vendas à vista e com cheques pré-datados cresceram 5,5% e as vendas a prazo caíram 24,0%. Estes números mostram que o consumidor neste ano optou por presentes mais baratos, como CDs, flores, acessórios e confecções, em detrimentos dos bens duráveis.

Agencia Estado,

12 de maio de 2003 | 18h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.