ExpoMoney SP mantém foco em ações e atrai 20 mil investidores

Atividades exclusivas para o público feminino, lançadas este ano, contaram com a participação de 1,8 mil mulheres nos três dias de feira

Yolanda Fordelone, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2010 | 00h00

Maior feira gratuita de finanças pessoais e investimentos do País, a ExpoMoney se encerrou no último sábado repetindo em São Paulo a fórmula que já vem dando certo há oito anos: pôr à disposição dos investidores muitas informações sobre o mercado acionário.

Em sua 50.ª edição, a feira trouxe mais de 120 palestras sobre finanças, concentrando-se em discutir a aplicação em ações e, para aqueles que ainda não investem, ensinando como se planejar e sair das dívidas.

Os organizadores do evento conseguiram bater a meta de atrair 20 mil visitantes nos três dias de exposição. Um dos destaques deste ano foi o espaço dedicado ao público feminino - o Money Mulher -, no qual foram apresentadas algumas palestras e workshops.

Por esse stand específico passaram 1.800 pessoas. "Avaliando as edições passadas, vimos que as mulheres ficavam meio soltas. Como elas gostam dessa interação social, acreditávamos que permaneceriam mais tempo na feira se houvesse este espaço", diz a consultora Sandra Blanco, organizadora do Money Mulher. As mulheres representaram 36% dos inscritos deste ano.

A Clínica Financeira - local em que os investidores podiam realizar uma consulta com um dos 30 especialistas voluntários - também atraiu público: foram 180 atendimentos. É a segunda vez que a Clínica é realizada.

"Os perfis e problemas são diversos, mas é perceptível que muitos nos consultam para resolver problemas", diz o consultor Fabiano Calil, responsável pelo espaço. Antes do início da Expo Money, as inscrições para a Clínica Financeira já haviam se esgotado. Os interessados que se cadastraram na lista de espera foram também atendidos na feira.

Durante o ano, a Expo Money percorre 12 cidades. A próxima a sediar o evento é Belo Horizonte, nos dias 20 e 21 de outubro. As inscrições podem ser feitas no site.

Participantes. Um breve giro pela feira é suficiente para encontrar os mais distintos casos, tanto de dificuldades em organizar as finanças como de pessoas que acham que ficarão ricas investindo na bolsa.

Os estudantes de economia Mário Furtado Júnior e Robson Pereira dos Santos, por exemplo, visitaram a feira não apenas pelas informações sobre investimentos, mas também de olho na profissão. "Vim conhecer as corretoras", diz Furtado, ao contar que pretende trabalhar no mercado de ações. "Foi o meu primeiro contato com investimentos. Quero trabalhar nos negócios das empresas e acho importante conhecer o mercado acionário", completa Santos.

Participando pela terceira vez da Expo Money e pela segunda da Clínica Financeira, Renato Sartori também foi ao evento colher mais do que informações. Ele queria uma opinião sobre sua vida financeira. Na primeira vez em que participou da Clínica, queria dicas para controlar suas dívidas. "Neste ano, fui ver se a minha estratégia de aplicação está correta. Tenho o objetivo de lucrar 18% ao ano", relata.

As estudantes de logística Marya Nazaré e Paula Adriana Ferreira ficaram sabendo da feira pela televisão e resolveram ir ao local com dois objetivos: ganhar conhecimento para no futuro aplicar e conhecer mais sobre gráficos, muito utilizados em seu curso. "Achei o evento muito interessante. Por enquanto não invisto, mas assim que eu souber melhor como funciona o mercado, quem sabe?", questiona Paula.

A semana

Segunda, 27

Inflação: INCC-M (setembro).

EUA: Índice de Atividade Nacional-Fed Chicago (agosto).

Terça, 28

Tesouro: resultado do Governo Central (agosto).

EUA: Índice de Confiança do Consumidor (setembro).

Reino Unido: PIB revisado (2º Trimestre).

Alemanha: Confiança do Consumidor (outubro).

Quarta, 29

Inflação: IGP-M (setembro).

BC: Nota de Política Fiscal (agosto).

Zona do Euro e Reino Unido: Confiança do Consumidor (setembro).

Quinta, 30

FGV: Sondagem da Indústria (setembro).

Reunião do CMN.

BC: Relatório Trimestral de Inflação (Data limite).

EUA: PIB anualizado (2º trimestre).

EUA: Índice Gerente de Compras Chicago (setembro).

Alemanha: Taxa de Desemprego (setembro).

China: Índice Gerente de Compras (setembro).

Sexta, 1º

Inflação: IPC-S (setembro).

IBGE: Produção Industrial (agosto).

Balança Comercial (setembro).

EUA: Atividade (ISM) Industrial (setembro).

EUA: Sentimento do Consumidor (setembro).

Zona do Euro: Taxa de Desemprego (agosto). Zona do

Euro,: Índice Gerente de Compras (setembro).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.