Exportação argentina é recorde em maio, mas saldo cai

As exportações argentinas bateram recorde em maio, mas o superávit comercial do país continua caindo. Conforme dados do Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (Indec), as exportações alcançaram US$ 8,04 bilhões, alta de 24% na comparação com igual período de 2010. Foi o maior valor na série histórica para esse mês. No entanto, o ritmo de crescimento das importações foi superior e chegou a 39%, resultando em US$ 6,36 bilhões. O saldo comercial argentino de US$ 1,68 bilhão no mês passado ficou 12,8% abaixo do verificado em maio do ano passado.

MARINA GUIMARÃES, Agencia Estado

24 de junho de 2011 | 12h29

A tendência de queda do saldo da balança comercial levou ainda em fevereiro o governo argentino a endurecer as barreiras contra as importações, afetando especialmente as exportações brasileiras para este mercado.

Os US$ 12 bilhões de superávit registrados em 2010 devem cair para cerca de US$ 9 bilhões este ano, conforme projeções de analistas privados. Na semana passada, a presidente Cristina Kirchner havia antecipado que, nos primeiros cinco meses de 2011, o superávit comercial foi de US$ 4,76 bilhões, 21% abaixo do registrado em igual período de 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.