Exportação de açúcar deve bater recorde

As exportações brasileiras de açúcar deverão ser recorde este ano, voltando ao patamar de 1999, quando foram exportadas 12 milhões de toneladas. Com uma safra também recorde de 320 milhões de toneladas de cana, os usineiros se interessaram mais em fazer açúcar do que produzir álcool, motivados pela desvalorização do real e pela demora na aprovação pelo governo do financiamento que permitiria a estocagem de parte do produto.O secretário de produção e comercialização do Ministério da Agricultura, Pedro de Camargo Neto, disse que a liberação dos R$ 500 milhões da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), que está sendo encaminhada nesta semana ao Conselho Monetário Nacional (CMN), demorou porque foram necessárias negociações com o Congresso e com várias áreas do governo. ?Esta foi a primeira vez que este tipo de mecanismo foi feito para o setor?, disse.O aumento das exportações de açúcar está provocando a queda dos preços do produto no mercado internacional ? o Brasil é o maior produtor mundial de açúcar -, e um ajuste maior na oferta de álcool no mercado interno. A previsão inicial era de uma oferta de 12,9 bilhões de litros de álcool neste ano, incluindo a produção do Centro-Sul e do Nordeste. Agora, esta oferta deverá ficar em 12,4 bilhões de litros para atender a um consumo de 11,45 bilhões de litros do produto. Já a produção de açúcar prevista em 20 milhões de toneladas deverá passar para 21,5 milhões de toneladas.A redução na oferta de álcool também deverá causar uma diminuição nas exportações de produto. Os 700 milhões de litros que deveriam ser colocados no mercado externo deverão ser reduzidos a 300 milhões de litros, segundo técnicos do setor. O secretário assegura, no entanto, que a redução na oferta de álcool não irá comprometer o abastecimento interno. ?A oferta ficará um pouco mais justa apenas?, afirma.O impacto maior do aumento das exportações de açúcar está recaindo mesmo é sobre os preços no mercado internacional. Uma tonelada de açúcar que, historicamente até 1998, ficava acima de US$ 238,00, teve o preço médio reduzido a US$ 166,88 a tonelada nos primeiros sete meses deste ano. As exportações brasileiras de açúcar no ano passado foram de 11,168 milhões de toneladas, com uma receita de US$ 2,277 bilhões, obtida a um preço médio de US$ 203,92 a tonelada. Neste ano, de janeiro a julho, já foram exportadas 5,393 milhões de toneladas, obtendo uma receita de US$ 900 milhões. A estimativa é de que até dezembro sejam exportadas 12 milhões de toneladas do produto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.