Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Exportação de álcool pode ser prejudicada por preço do açúcar

O diretor-presidente da trading Crystalsev e conselheiro da União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica), João Carlos Figueiredo Ferraz, afirmou hoje que a disparada da cotação do açúcar nas bolsas internacionais não prejudicará o mercado interno de álcool, mas podem atingir as exportações brasileiras do combustível. "O mercado interno do álcool é intocável e não podemos abandoná-lo porque ele também é um balizador do preço do açúcar", disse. "No entanto, se o açúcar seguir tão remunerador lá fora, é possível que parte da produção de álcool a ser exportada possa ser convertida em açúcar", afirmou Ferraz. Redução de ExportaçõesFerraz atribuiu as altas no preço do açúcar à decisão da União Européia de reduzir as exportações, o que irá criar um déficit de 3 milhões de toneladas de açúcar imediato. "O mundo precisa se abastecer e nem sequer o Brasil é capaz de produzir esse volume imediatamente", disse. Ainda segundo o executivo, a capacidade instalada do parque sucroalcooleiro do Brasil não permite que haja uma reversão na produção de álcool para o açúcar muito grande, o que também é uma garantia de abastecimento do combustível no mercado interno.

Agencia Estado,

23 de janeiro de 2006 | 15h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.