Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Exportação de calçados sobe 9% em outubro, mas cai no ano

As exportações brasileiras de calçados cresceram 9% em outubro na comparação com o mês anterior, alcançando receita de US$ 119 milhões. No acumulado do ano, entretanto, as vendas no mercado internacional continuam em baixa: 11,53% em relação ao mesmo período do ano anterior, para US$ 1,227 bilhão, de US$ 1,387 bilhão. Os dados são da Associação Brasileira dos Exportadores de Calçados (Abicalçados) De acordo com a entidade, o avanço da receita no décimo mês do ano deveu-se à "diferença cambial existente entre dólar e o real no período das negociações, quando os calçadistas fecharam pedidos com extrema cautela, evitando os valores especulativos da moeda americana". Já o desempenho de outubro comparado a idêntico mês de 2001, segundo a pesquisa, mantém a trajetória descendente, ao registrar baixa de 11,2% em relação aos US$ 134 milhões obtidos naquele mês. A Abicalçados alega que as taxas negativas são resultado da retração do consumo mundial, principalmente, do mercado americano, o maior importador dos calçados brasileiros. No ano passado, o setor exportou U S$ 1,615 bilhão. Apex O objetivo do setor é fechar 2004 com divisas da ordem de US$ 2,4 bilhões. Para alcançar a meta, as empresas, em parceria com a Agência de Promoção de Exportações (Apex), divulgam os calçados nacionais através de feiras no exterior. Tal movimento já atraiu 120 novas empresas, que passaram a fazer parte dos 800 exportadores já em atividade. A próxima mostra será entre os dias 19 a 21 de novembro, quando um grupo de calçadistas participará da Mostra Brasil Chile, um grande evento que reunirá os setores de calçados, confecções, jóias e cosméticos em Santiago, para mostrar o potencial exportador brasileiro.

Agencia Estado,

06 de novembro de 2002 | 12h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.