Exportação de carne para a Europa terá novas regras

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, anunciou hoje mudanças nas regras para exportação de carne bovina para a União Européia (UE), que atualmente é o principal centro comprador do Brasil no exterior. A primeira regra é que os frigoríficos habilitados para exportação para o bloco só poderão abater gado que vier da zona livre de febre aftosa.Se os frigoríficos receberem animais que vierem de outras áreas, esses animais terão de ficar por um prazo mínimo de 90 dias em propriedades localizadas na zona de segurança, como forma de dar garantia ao processo de abate.Se os animais circularem dentro da zona autorizada, eles terão de ficar, pelo menos, 40 dias na propriedade. Segundo o ministro, também haverá uma unificação das Guias de Trânsito Animal (GTA), com os documentos que garantem a rastreabilidade dos bovinos.O ministro acrescentou que, num prazo de 60 dias, a GTA eletrônica será combinada com documentos da rastreabilidade. O ministro informou que a missão da União Européia notou uma evolução no combate à febre aftosa no País, mas salientou que os técnicos europeus constataram falhas nas GTAs e no sistema de rastreabilidade dos bovinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.