Exportação de celulose tem forte alta em novembro

Associação Brasileira de Celulose e Papel informa que resultado foi 20,7% maior do que no mesmo mês de 2008

André Magnabosco, da Agência Estado,

18 de dezembro de 2009 | 14h47

As exportações brasileiras de celulose somaram 723 mil toneladas em novembro, segundo dados preliminares divulgados nesta sexta-feira, 18, pela Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa). O resultado representa uma expansão de 9,4% em relação ao mês anterior e um salto de 20,7% ante igual período do ano passado, quando diante da crise o mercado internacional reduziu drasticamente as compras.

 

Com o resultado de novembro, o desempenho do setor no acumulado anual alcançou expansão 15,4% sobre os 11 primeiros meses de 2009, para 7,520 milhões de toneladas. As vendas de 2009 já superam o total exportado no ano passado.

 

Assim como as exportações, as vendas domésticas de celulose também apresentam alta em 2009. Entre janeiro e novembro, o setor já comercializou internamente 1,291 milhão de toneladas, alta de 17,7% sobre igual intervalo de 2009. As vendas em novembro somaram 134 mil toneladas, alta de 44,1% sobre novembro de 2008, mas queda de 1,5% sobre outubro deste ano. 

 

Já as vendas domésticas de papéis apresentaram retração entre novembro e outubro, conforme tradicionalmente ocorre devido a fatores sazonais ligados às festividades de final de ano. De acordo com dados preliminares divulgados pela Bracelpa, as vendas locais em novembro somaram 442 mil toneladas, queda de 3,7% sobre outubro, mas expansão de 2,6% sobre novembro do ano passado. No acumulado do ano, as vendas locais somaram 4,550 milhões de toneladas até novembro, queda de 3,5% ante igual intervalo de 2008.

 

A retração das vendas em novembro na comparação com outubro acompanhou a queda de 4,2% no índice que mede o consumo aparente, medido pela produção local, descontadas as exportações, adicionado às importações. O consumo interno em novembro foi de 725 mil toneladas, retração de 4,7% sobre novembro do ano passado. No ano, o consumo aparente totalizou 7,702 milhão de toneladas até novembro, com queda de 4,2% sobre o mesmo período do ano passado.

 

As exportações do setor em novembro somaram 161 mil toneladas, queda de 11% sobre outubro, mas expansão de 15% sobre novembro do ano passado. Com isso, a queda do indicador no acumulado anual foi para -1,5%, a 1,812 milhão de toneladas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.