Exportação de produtos básicos já subiu 118% no mês

A expansão mais forte das exportações em maio até a quarta semana foi sustentada pelos embarques nas três categorias de produtos - básicos, semimanufaturados e manufaturados. A de produtos básicos, porém, foi o destaque.Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior divulgados hoje, as vendas externas de produtos básicos aumentaram 117,7% em relação a maio de 2007, por conta, principalmente, de petróleo em bruto, minério de cobre, soja em grão, minério de ferro, farelo de soja e carne de frango, suína e bovina.As exportações de semimanufaturados subiram 55,8%, alta puxada por celulose, ferro-ligas, ferro fundido, semimanufaturados de ferro e aço, alumínio em bruto e açúcar em bruto.Já as vendas de manufaturados aumentaram 22,5%, em razão de óleo de soja refinado, óleos combustíveis, óxidos e hidróxidos de alumínio, álcool etílico, motores e geradores, automóveis de passageiros, tratores e máquinas para terraplenagem.As exportações registram alta de 59,6%, pela média diária, na comparação com maio do ano passado. Alta tão expressiva, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento, se deve à liberação de mercadorias retidas na alfândega em função do fim da greve dos auditores fiscais da Receita, no último dia 12. No acumulado do ano, o aumento das vendas externas foi de 20,2% em relação ao mesmo período de 2007.ImportaçõesDo lado das importações, a média diária até a 4ª semana de maio ficou 78,1% acima da média de maio de 2007, uma expansão também bem acima da média do ano, que foi 48,7% superior à do mesmo período do ano passado. Aumentaram os gastos em maio, principalmente, com adubos e fertilizantes, combustíveis e lubrificantes, automóveis e partes, cobre e suas obras e siderúrgicos.As exportações acumulam no mês US$ 14,850 bilhões e as importações, US$ 11,890 bilhões, com superávit de US$ 2,960 bilhões. No ano, as exportações totalizam US$ 67,599 bilhões e as importações, US$ 60,059 bilhões, com saldo positivo de US$ 7,540 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.