José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Exportação de veículos cai pela metade em abril, diz Anfavea

Motivo para a queda de 52,3% na exportação no mês passado é a crise da Argentina, historicamente o principal destino da produção brasileira; produção teve aumento de 0,5%

André Ítalo Rocha, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2019 | 10h51

A exportação de veículos em unidades caiu 52,3% em abril em comparação ao mesmo mês do ano passado, segundo balanço divulgado nesta terça-feira, 7, pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Ao todo, foram 34,9 mil unidades vendidas para o exterior no mês passado. A soma considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O volume, se comparado a março, representa uma queda de 10,5%.

No acumulado do ano, as montadoras instaladas no Brasil venderam para outros países 139,5 mil veículos, o que representa uma retração de 45% em relação a igual período de 2018. O principal motivo para a queda é a crise da Argentina, historicamente o principal destino das exportações brasileiras de veículos.

Em valores, as montadoras faturaram US$ 552,5 milhões com as exportações em abril, diminuição de 57,6% sobre a receita de abril do ano passado e de 10,2% ante o faturamento de março. No acumulado, as vendas ao mercado externo somaram US$ 2,28 bilhões, representando um recuo de 48,4% em relação ao primeiro quadrimestre do ano passado.

Produção de veículos cresceu

A produção de veículos avançou 0,5% em abril ante o mesmo mês do ano passado, segundo a Anfavea. Foram produzidas 267,5 mil unidades - na comparação com março houve crescimento de 11,1%.

No acumulado do ano, as montadoras produziram 965,4 mil veículos, queda de 0,1% em relação a igual intervalo do ano passado.

Com os resultados, as fabricantes criaram 174 vagas de emprego em abril. Em 12 meses, o saldo é negativo, com o fechamento de 1.595 postos de trabalho. No fim de abril, o setor contava com 130.154 funcionários, retração de 1,2% em relação a igual mês do ano passado.

Nas vendas ao mercado interno, a Anfavea confirma números divulgados na semana passada pela Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Os emplacamentos cresceram 6,7% em abril ante igual mês passado, para 231,9 mil unidades. Em relação a março, houve alta de 10,9%. No acumulado, foram 839,5 mil unidades vendidas, alta de 10% sobre o resultado de igual período do ano passado.

Venda de máquinas agrícolas e implementos cai

O balanço da Anfavea mostrou ainda que a venda de máquinas agrícolas e implementos rodoviários no mercado brasileiro caiu 24,8% em abril ante o mesmo mês do ano passado. O total de 4,1 mil unidades vendidas no mês passado é 17,5% menor que o registrado em março. No acumulado de janeiro a abril, o segmento vendeu 12,4 mil unidades, expansão de 6,4% em relação a igual período de 2018.

A produção teve recuo de 10% em abril ante igual mês de 2018, para 4,5 mil unidades. Se comparado com março, o total produzido representa crescimento de 1%. No acumulado do ano, foram 15,3 mil unidades fabricadas, baixa de 9,9% sobre o resultado de igual período do ano passado.

Para o mercado externo, as fabricantes venderam 1,2 mil unidades em abril, alta de 12,5% em relação a igual mês do ano passado. Em comparação a março, houve avanço de 13,8%. No acumulado do ano, são 3,9 mil unidades vendidas ao exterior, baixa de 2,7% em relação a igual intervalo do ano passado.

Em valores, as exportações de máquinas agrícolas e implementos rodoviários caíram 6,1% em abril ante igual mês do ano passado, para US$ 282,7 milhões. A receita, se comparada a março, representa alta de 20,1%.  No acumulado do ano, as fabricantes faturaram US$ 993,4 milhões, recuo de 15,6% em relação a igual intervalo de 2018.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.