Exportação do agronegócio soma US$ 7,4 bi em março

As exportações do agronegócio somaram US$ 7,4 bilhões em março, melhor resultado para o mês desde 1989, conforme cálculo da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), divulgado hoje. Na comparação com março de 2010, o valor exportado cresceu 22,6%. As importações subiram 23,9%, chegando a US$ 1,4 bilhão, um recorde histórico.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

20 de abril de 2011 | 19h47

O saldo da balança comercial do agronegócio no mês ficou positivo em US$ 5,9 bilhões, resultado que ajudou a balança comercial brasileira a ficar superavitária em US$ 1,5 bilhão. Os embarques do complexo soja (grão, óleo e farelo) cresceram 26,3% no mês: saltaram de US$ 1,62 bilhão em março de 2010 para US$ 2,04 bilhões em março de 2011. De acordo com a CNA, grande parte desse aumento é reflexo da elevação de 34,8% nos preços desse grupo de produtos, pois a quantidade exportada no mês caiu 6%, para quatro milhões de toneladas.

PIB

Segundo a CNA, o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio, que inclui a produção "dentro da porteira" e da indústria, cresceu 0,41% em janeiro na comparação com dezembro. No mesmo mês do ano passado, a alta havia sido de 0,21% em relação ao mês anterior.

A confederação destacou que considerando-se apenas a produção nas fazendas, a expansão da atividade foi de 0,48% no período. No primeiro mês de 2010, a alta havia sido de 0,31% em relação a dezembro de 2009. Levando-se em conta apenas a agricultura, o PIB cresceu 0,77% em janeiro desde ano em relação a dezembro do ano passado. A expansão da pecuária foi de 0,10% nessa comparação.

Algodão

Análise da CNA, em parceria com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da Universidade de São Paulo (USP), mostra que o destaque entre as culturas foi o algodão, cujos preços no mercado internacional estão em alta desde agosto de 2010. De acordo com comunicado divulgado pela entidade, o movimento foi influenciado pelo desequilíbrio entre oferta e demanda, que cresceu acima das estimativas. Do lado da oferta, houve redução na área cultivada com algodão em alguns importantes países produtores na safra 2009/2010, o que acarretou na redução de 0,52% da oferta global.

Essas condições influenciaram de forma positiva a previsão para o Valor Bruto da Produção (VBP) do algodão, que deve crescer 55,36% em 2011, para R$ 4,6 bilhões, segundo as mais recentes projeções da CNA. No total, o VBP da produção agropecuária deve apresentar crescimento de 7,02% em 2011, alcançando R$ 272 bilhões. Em 2010, o faturamento obtido com a venda dos 25 principais produtos agropecuários somou R$ 254,2 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.