finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Exportação do Brasil para Europa cresce 17%

Só as vendas chinesas, com crescimento de 21%, superam o ritmo das feitas pelo País para a região no período de janeiro a maio

Jamil Chade, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2022 | 00h00

O ritmo de crescimento das exportações brasileiras ao mercado europeu só é superado pelo desempenho dos produtos chineses na região. O Brasil já é o nono maior fornecedor da União Européia (UE).Dados divulgados pela Comissão Européia apontam que as vendas brasileiras aumentaram em 17% entre janeiro e maio deste ano em comparação ao mesmo período de 2006. Só os chineses conseguiram melhor resultado, com 21% de aumento. Nesse mesmo período, o crescimento das exportações européias ao Brasil foi de 11%.O Brasil ampliou seu superávit com a Europa para 4,7 bilhões, 1 bilhão a mais que no mesmo período de 2006. Neste ano, o País exportou 12,6 bilhões ao mercado europeu, contra 10,7 bilhões em 2006.Os resultados colocam o Brasil â frente da Índia como fornecedor de bens aos europeus. A China, porém, atinge um volume de exportação oito vezes maior. No período janeiro-maio, os chineses somaram vendas de 88 bilhões à UE , superando os Estados Unidos e se tornando os maiores exportadores do mundo para a Europa.Apesar da valorização da moeda européia, a zona do euro registrou uma alta de seu superávit comercial para 7,8 bilhões em junho. O valor ficou bem acima do superávit de apenas 1,7 bilhão em maio. No primeiro semestre, o superávit foi de 11,5 bilhões, contra um déficit de 18,3 bilhões no primeiro semestre de 2006.Parte da explicação é o bom resultado das exportações européias para os mercados emergentes. No total, a zona do euro exportou 728,3 bilhões de janeiro a junho.As vendas para os Estados Unidos registraram queda de 2% de janeiro a maio deste ano. Mas o mau desempenho foi compensado por alta de 27% nas exportações para a Rússia e de 14% para a China.No geral, porém, o bloco de 27 países da UE registrou um déficit de 9,4 bilhões em junho e de 91,9 bilhões no primeiro semestre.Entre os maiores responsáveis pelo déficit estão o Reino Unido, com mais de 53 bilhões; Espanha, 36,9 bilhões; e França, 16,1 bilhões. Os alemães mantêm sua posição de maior exportador do planeta, e têm saldo favorável de 80,6 bilhões em sua balança comercial.NÚMEROS17% foi o crescimento das vendas brasileiras à UE de janeiro a maio ante o mesmo período de 200611%foi quanto cresceram as exportações européias para o Brasil no mesmo período9ªé a posição do Brasil entre os fornecedores para a Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.