Exportação e importação crescem em relação a agosto

As exportações e as importações brasileiras registram até a terceira semana de setembro um aumento em relação a agosto deste ano. Segundo os dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, a média diária das vendas externas em setembro de 2009 subiu 2,1% por conta da alta de manufaturados (8,8%) e semimanufaturados (1,9%). Entretanto, na mesma comparação, houve queda nos embarques de básicos (4,4%).

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

21 de setembro de 2009 | 17h28

Nas importações, houve um crescimento de 10,9% em relação à média diária de agosto, com destaque para equipamentos elétricos e eletrônicos (26,2%), combustíveis e lubrificantes (15,4%), produtos plásticos (14,6%), instrumentos de ótica e precisão (12,7%) e veículos automóveis (10,6%).

Na comparação com setembro do ano passado, no entanto, o comércio exterior sofreu uma retração. As exportações somaram US$ 8,752 bilhões até a terceira semana de setembro deste ano, com média diária de US$ 673,2 milhões. Esse desempenho ficou 26% abaixo da média diária registrada em setembro de 2008 (US$ 909,9 milhões), por conta de retração nos embarques das três categorias de produtos.

Nos manufaturados, a queda é de 31,5%, puxada principalmente por aviões, tratores, calçados, etanol, pneus, celulares, autopeças, veículos de carga, bombas e compressores e automóveis. As vendas de semimanufaturados caíram 27,6%, por conta de óleo de soja em bruto, semimanufaturados de ferro e aço, ferro-ligas, couros e peles, celulose e ferro fundido. As exportações de básicos reduziram-se 18%, devido a carnes suína, bovina e de frango, minério de ferro, petróleo em bruto, algodão em bruto e café em grão.

As importações, nas três primeiras semanas do mês, somaram US$ 7,389 bilhões, com média diária de US$ 568,4 milhões. Esse valor foi 27,5% menor que o registrado em setembro do ano passado (US$ 784,5 milhões) devido a retração nas compras brasileiras de adubos e fertilizantes (54,3%), combustíveis e lubrificantes (43,8%), químicos orgânicos e inorgânicos (24,4%), equipamentos mecânicos (22,4%) e produtos farmacêuticos (20,4%).

Em setembro, o superávit acumulado é de US$ 1,363 bilhão, com média diária de US$ 104,8 milhões, uma queda de 16,4%, em relação a setembro do ano passado (média diária de US$ 125,4 milhões) e de 28,4% sobre agosto de 2009, quando a média diária foi de US$ 146,4 milhões.

No acumulado do ano, a balança comercial teve superávit de US$ 21,331 bilhões (média diária de US$ 119,2 milhões), valor 12,3% maior que o registrado no mesmo período do ano passado. As exportações somaram US$ 106,687 bilhões, com média diária de US$ 596 milhões. Em relação ao mesmo período de 2008, houve queda de 25,1%. As importações alcançaram o valor de US$ 85,356 bilhões (média diária de US$ 476,8 milhões), uma retração de 30,8% sobre o resultado apresentado no mesmo período de 2008 (média diária de US$ 689,6 milhões).

Tudo o que sabemos sobre:
comércio exteriorbalança comercial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.