Exportação e Natal impulsionam abate de frangos e suínos

Exportação e Natal impulsionam abate de frangos e suínos

A redução da oferta de animais e a retenção de matrizes para a reprodução fez com que o abate bovino sofresse uma queda de 4,5% no terceiro semestre

O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2014 | 02h03

A redução da oferta de animais e a retenção de matrizes para a reprodução fez com que 8,457 milhões de cabeças bovinas fossem abatidas no terceiro trimestre de 2014, uma queda de 4,5% em relação a igual período do ano passado, informou ontem o IBGE. O resultado interrompeu uma sequência de 11 aumentos nesse tipo de comparação.

Os abates de frangos e suínos, porém, foram recordes, impulsionados por exportações e pelos preparativos para o Natal, respectivamente. No caso da captação de leite, também houve crescimento em termos nacionais, mas o Sudeste perdeu participação diante da estiagem que afetou a produção em São Paulo.

De julho a setembro, foram abatidos 1,419 bilhão de frangos, recorde em toda a série histórica da pesquisa, iniciada em 1997. Ainda no terceiro trimestre, o abate de suínos atingiu 9,641 milhões de animais, alta de 3,0% em relação ao terceiro trimestre do ano passado. O volume foi o maior já registrado para o período, segundo a série iniciada em 1997. / IDIANA TOMAZELLI

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.