finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Exportação recua pela 2ª semana

Média diária de embarques cai 1,1% em relação a 2006

Denise Chrispim Marin, O Estadao de S.Paulo

24 de julho de 2007 | 00h00

Pela segunda semana consecutiva, as exportações recuaram e contribuíram para um desempenho menos favorável da balança comercial nas três primeiras semanas de julho. Dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulgados ontem mostraram que a média diária de embarques, nesse período, caiu 1,1%, em comparação com a média de julho de 2006, por conta da desaceleração das vendas de produtos básicos e de manufaturas - os carros-chefes das exportações brasileiras.A média diária das importações cresceu 27,7%, engrossada pelas compras de bens de capital e de insumos para setores produtivos. O resultado foi um superávit de US$ 2,357 bilhões nas três semanas - menos da metade do saldo verificado em todo o mês de julho de 2006 (US$ 5,66 bilhões).Entre 1º de janeiro e a última sexta-feira, o superávit comercial é de US$ 23,019 bilhões. As exportações no ano alcançaram US$ 82,859 bilhões - 16,8% a mais do que em igual período de 2006. O total das importações, de US$ 59,840 bilhões, teve aumento bem mais expressivo, de 26,1%.Em julho, as exportações somam até agora US$ 9,644 bilhões, com média diária de US$ 642 milhões. De acordo com a Secex, essas cifras embutem queda nas vendas externas de soja e farelo, de petróleo em bruto, de carne bovina e de minério de ferro, entre os produtos básicos. Também incluem recuos dos produtos elétricos e eletrônicos, de álcool etílico, de telefones celulares e de motores para veículos, entre outras manufaturas.Mesmo com peso menor nas exportações, as vendas de semimanufaturados cresceram 8,5%, graças ao desempenho de itens como ligas de alumínio, óleo de soja, celulose e ferro-ligas.Com um total de US$ 7,287 bilhões, as importações das três semanas de julho registraram média diária de US$ 485,8 milhões. O aumento de 27,7% deveu-se à expansão de compras de equipamentos mecânicos, elétricos e eletrônicos, entre os bens de capital. No grupo dos insumos importados, os destaques foram adubos, fertilizantes e cereais. A média diária de importação do principal item da pauta, os combustíveis e lubrificantes, cresceu 35,3%.NÚMEROS DA BALANÇAR$ 2,35 bilhõesé o saldo comercial acumulado nas três primeiras semanas de julho27,7%foi a expansão da média diária de importações nas três primeiras semanas do mêsUS$ 23 bilhõesé o saldo comercial acumulado pelo Brasil entre janeiro e a terceira semana de julho16,8%é o aumento das exportações no acumulado de 2007 em relação a igual período do ano passado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.