Exportações alemãs têm recorde, mas previsão é de desaceleração

A Alemanha vendeu uma quantidade recordede bens para o exterior em janeiro e o saldo comercialampliou-se um pouco mais que o esperado, um sinal de que asempresas na maior economia européia estavam lidando bem com umeuro mais forte no início do ano. As exportações cresceram 3,8 por cento em janeiro, para85,3 bilhões de euros (131 bilhões de dólares) em basesazonalmente ajustada e o saldo foi de 16,1 bilhões de euros,acima da previsão média de 16 bilhões de euros (pesquisa daReuters). Os dados foram disponibilizados pelo governo do país. As importações subiram 4,2 por cento em relação a dezembro,para 69,2 bilhões de euros, o maior crescimento desde julho de1998, segundo o governo alemão. Economistas consultados pelaReuters estimavam uma alta de 1,0 por cento em exportações einalteração nos números relativos à importações. O saldo comercial foi revisado para cima, para 15,8 bilhõesde euros, contra 15,6 bilhões de euros anunciadosanteriormente. Economistas afirmaram que o saldo líquido teria sustentadoo crescimento geral no primeiro trimestre, mas alertaram que aforça de uma única moeda e desaquecimento em mercadosimportantes como os Estados Unidos podem reduzir a demanda nospróximos meses. "A perda do dinamismo nos Estados Unidos e oeste europeu eo fortalecimento corrente do euro significam que somente ocrescimento médio das exportações pode ser esperado esse ano".afirmou Matthias Rubisch, do Commerzbank em Frankfurt. A Alemanha é o maior exportador mundial de bens, vendendoquase 1 trilhão de euros (1,5 trilhão de dólares) para fora dopaís em 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.