Exportações brasileiras aos países árabes crescem 28,13%

As exportações brasileiras para os 22 países que compõem a Liga Árabe cresceram 28,13% em 2006, em comparação com 2005, informou nesta quarta-feira a Câmara de Comércio Árabe Brasileira. Segundo o presidente da entidade, Antônio Sarkis, o aumento dos negócios entre os países, que atingiu US$ 12,04 bilhões em 2006 - crescimento de 14,47% com relação a 2005 -, demonstra a importância dos mercados e o maior conhecimento do potencial de ambas as partes. "A ampliação do comércio entre os países foi proporcionada pela maior exposição nos últimos anos dos produtos brasileiros no mercado árabe", afirmou.O superávit na balança comercial brasileira com os países árabes, de US$ 1,3 bilhão em 2006, foi o maior dos últimos anos. Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), o Brasil exportou US$ 6,67 bilhões aos países da Liga Árabe em 2006, enquanto importou US$ 5,37 bilhões - aumento de 1,08% em relação a 2005.Para Sarkis, esse resultado é reflexo principalmente da redução das importações de petróleo, que responde por aproximadamente 90% da pauta de exportações dos árabes ao País. "A auto-suficiência do petróleo no Brasil reduziu as importações do produto dos países árabes", destacou, acrescentando que novas missões empresariais devem desembarcar no Brasil neste ano para tentar reduzir esse déficit comercial.Os produtos que se destacam nas exportações brasileiras para os árabes são o açúcar, as carnes, o minério de ferro e as aeronaves. "A valorização do açúcar e do minério de ferro e a exportação de aviões e aeronaves foram importantes para o aumento das exportações brasileiras", disse Sarkis. Segundo ele, cerca de dois terços dos negócios com os países árabes vêm dos produtos agrícolas. "O mercado árabe já responde por 9% das exportações do agronegócio brasileiro", afirma.A balança comercial entre o Brasil e os países da Liga Árabe, salienta Sarkis, vem crescendo há mais de seis anos. Entre os anos de 2000 e 20006, as exportações brasileiras tiveram um crescimento 375%. "Toda vez que há uma aproximação política, o primeiro setor a reagir é o comercial", ressaltou, em relação ao aumento das missões empresariais brasileiras aos países árabes. "Os árabes ainda não conhecem os produtos potenciais do Brasil", ponderou.Com o resultado obtido em 2006, os países árabes passaram a responder por 4,8% do total das exportações brasileiras, subindo da quinta colocação, em 2006, para o quarto lugar, ficando atrás dos Estados Unidos, da Argentina e da China. Do total de US$ 6,67 bilhões exportados pelo Brasil aos árabes, US$ 4,72 bilhões foram vendidos à Arábia Saudita, ao Egito, aos Emirados Árabes, à Argélia e ao Marrocos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.